Home / Filhos / Educação e comportamento / Como identificar e combater o bullying

Como identificar e combater o bullying

Barra-guest-post

bullyingHá muitos anos, crianças e adolescentes têm passado por diferentes formas de intimidação e humilhação, exercidas por pessoas de seu círculo de convivência. São apelidos pejorativos, difamações, no mundo real ou no virtual, e agressões físicas ou materiais que podem deixar marcas profundas em suas vítimas. Mais recentemente, essas ações receberam um nome: o bullying. Muitos dos agressores não percebem a gravidade do que cometem, acham que se trata de mais uma das diversas brincadeiras infantis. Contudo, se o bullying não for combatido de forma correta, pode trazer sérias consequências para quem sofre desse mal. Saiba como identificar se seu filho é vítima de bullying e aprenda a combater esse problema.

O bullying normalmente está ligado a uma relação de poder, seja ela consequência de uma diferença de idade, estrutura física, raça ou condição financeira. Ele pode ser dividido em algumas categorias. Uma delas é a agressão verbal, por meio de xingamentos, apelidos pejorativos e ofensas. Também existe o bullying físico ou material, que acontece, por exemplo, quando alguém chuta, belisca, ou estraga algo de outra pessoa, de propósito. Outra categoria é o bullying psicológico, relacionado ao assédio moral, como, por exemplo, quando há ações de discriminação ou ridicularização, seja no mundo real ou no virtual. O bullying também pode ser sexual, por meio de acusações, insinuações ou outras formas de abusos.

É preciso ficar atento aos sinais que as crianças e adolescentes expressam. Muitas vezes, eles se sentem intimidados e não contam para os adultos o que têm passado. Em vez disso, manifestam uma certa contrariedade em relação a alguns colegas, ou a um local que costumam frequentar. Depois de um certo tempo, essa reação pode ficar mais forte, podendo virar um medo ou até uma crise de pânico.

bullying na escolaOutro sinal é a queda no rendimento escolar e o isolamento, quando crianças ou adolescentes, que normalmente era considerados sociáveis, ficam irritados constantemente, querem passar muitas horas sozinhos e se recusam a fazer programas com os amigos. Além disso, há marcas físicas, como machucados ou hematomas, que denunciam as ações de violência.

Se você perceber alguma mudança no comportamento do seu filho, estabeleça uma conversa franca com ele. A melhor forma de combater o bullying começa pelo diálogo. Pergunte como ele tem passado, questione o porquê de ele estar diferente e explique o que são ações de intimidação, valendo-se de alguns exemplos.

Informe os adultos, como a diretora e a professora, por exemplo, se ele estiver sofrendo bullying na escola, sobre o que está acontecendo, para que elas possam interferir, caso percebam algum problema. Oriente seu filho a buscar ajuda de um adulto sempre que for necessário, no ambiente em que ele tem sido coagido e também em casa.

Promova ações que aumentem a autoestima do seu filho. Incentive-o a fazer atividades de que goste, elogie-o bastante e esteja sempre a seu lado. Não minimize o que ele compartilhar com você. Dê ouvido a suas queixas e aja com firmeza e sensatez. Não tente resolver sozinha, conte com a ajuda de outros adultos, que conhecem os agressores e seu filho. Desta forma, ele se sentirá protegido e respeitado.

Guest Post produzido por OMO.

Sobre Autor Convidado

Artigo escrito por um autor convidado. Mais informações sobre o autor você encontra no final texto acima.

Veja também

soluco-do-bebe

Soluço do bebê: é normal soluçar todos os dias? Como parar?

Entenda o que causa o soluço do bebê, como evitá-los, como parar com os soluços e quando o soluço é um sinal de alerta e deve ser investigado pelo médico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.