Home / Pré-gestação / Tentantes / Março: mês da conscientização da endometriose

Março: mês da conscientização da endometriose

Barra-guest-post

O mês de março é o mês mundial da conscientização da endometriose:

A ENDOMETRIOSE REPRESENTA 45% DAS PACIENTES QUE PROCURAM TRATAMENTOS DE REPRODUÇÃO ASSISTIDA NO IVI SÃO PAULO

– A endometriose pode dificultar a capacidade de engravidar
– Várias cidades do Brasil participam da Marcha Mundial contra a Endometriose dia 13 de março

Com o objetivo de contribuir para o mês de conscientização da endometriose, a clínica de fertilidade IVI São Paulo realizou um estudo interno sobre a incidência de pacientes de reprodução humana com endometriose. “O resultado impressiona e merece atenção da população” declara Dra. Silvana Chedid, especialista em reprodução humana e diretora do IVI São Paulo “45% de nossas pacientes apresentam endometriose, dessas, metade apresenta endometriose de graus leve e moderado e metade apresenta endometriose severa”.

O nome desta doença que atinge a mais de 6 milhões de brasileiras deriva da palavra endométrio, que é o tecido que reveste o útero no seu interior, e que se descama todos os meses com a menstruação. A endometriose consiste na presença do tecido endometrial fora da sua localização habitual, que é dentro do útero. A sua localização mais frequente é nos ovários, nas trompas de Falópio, nos ligamentos que sustentam o útero e no revestimento da cavidade pélvica ou abdominal. É um tecido sensível às oscilações hormonais durante o ciclo menstrual, e daí os sintomas que produz. No entanto, algumas pacientes podem não ter sintomas. As consequências mais frequentes são dor e infertilidade.

Áreas mais comuns de serem atingidas pela endometriose. Imagem: Wikipedia Commons
Áreas mais comuns de serem atingidas pela endometriose.
Imagem: Wikipedia Commons

 Existe uma ampla relação entre a endometriose e a esterilidade. Segundo a Sociedade Brasileira de Endometriose, a doença é responsável por 40% dos casos de infertilidade no Brasil, mas apenas 1/3 das brasileiras associa a doença à dificuldade de engravidar.

No entanto, Dra. Silvana esclarece que nem sempre a endometriose está ligada à infertilidade, principalmente nos casos leves, e que muitas mulheres com endometriose podem engravidar, seja de maneira natural ou mediante técnicas de reprodução Humana. “De fato, 90% das mulheres com endometriose poderão engravidar de uma ou outra forma.”

Quem possui cólicas menstruais muito fortes ou possui casos de endometriose na família tem razões para fazer um diagnóstico mais profundo da doença. A partir da suspeita de endometriose, pode ser solicitada ressonância magnética ou ultrassonografia específica para a investigação de endometriose. Porém, o diagnóstico preciso é realizado pela visualização direta das lesões através da Laparoscopia.

Marcha Mundial contra a endometriose “Million Women March”

Várias cidades brasileiras realizarão a marcha contra a endometriose, cujo objetivo é conscientizar a população sobre esta doença e difundir a importância do diagnóstico precoce. Estima-se que uma mulher com endometriose leva entre 6 e 10 anos para tomar conhecimento que está afetada pela doença.

Para mais informações sobre a Marcha Mundial contra a endometriose acesse: http://www.millionwomenmarch2014.org/

Guest Post escrito por IVI

Sobre o IVI

Com sede em Valência, na Espanha, o Instituto iniciou suas atividades em 1990. Possui 24 clínicas, em 7 países e é líder europeu em medicina reprodutiva. O grupo conta com uma divisão genética (IVIOMICS), uma Fundação, um programa de Docência e Carreira Universitária.

Desde 2010 está no Brasil, em Salvador e desde 2012, o instituto chega a São Paulo. Em ambas as ocasiões, através de parcerias com especialistas já consagradas no país (respectivamente Dra. Genevieve Coelho e Dra. Silvana Chedid).

Sobre Autor Convidado

Artigo escrito por um autor convidado. Mais informações sobre o autor você encontra no final texto acima.

Veja também

teste-de-farmacia-segunda-linha-clarinha

Segunda linha do teste de farmácia bem clarinha

Ansiedade para saber se está grávida ou não. Corre até a farmácia, compra um teste de …

2 comentários

  1. Oi, gostaria de agradecer por este site, que sempre tira as minhas dúvidas. Tenho uma pergunta para vcs…

    Estava pesquisando sobre dor intestinal durante a menstruação e fiquei surpresa por aparacerem vários sites mencionando endometriose intestinal, não sabia q isso existia…vou ao ginecologista regularmente, fui em julho, fiz preventivo e US transvaginal, tive HPV, fiz cauterização há mais de 3 anos e o teste em julho deu negativo, ou seja, minha médica saberia se eu tivesse endometriose, certo? No ano passado tive uma infecção intestinal que resultou posteriormente em suspeita de retocolite, descartada pela colonoscopia após uso de anti-inflamatório, mas eu já venho há alguns anos sentindo dor intestinal quando menstruo, sentar incomoda e evacuar é doloroso, um mês tive diarreia, mas geralmente tenho prisão de ventre durante a menstruação, minha mãe sempre teve constipação, mas eu nunca tive, só nessa época. Sinto dor em uma posição sexual em que o pênis vai mais profundamente, em qualquer época do ciclo, tenho 30 anos, não tenho filhos, mas nunca tentei engravidar, só usei anticoncepcional por um mês e comecei a ter vômitos, então parei. Geralmente só sinto cólica um dia antes ou no primeiro dia da menstruação, que passa com dipirona. Pela falta de sintomas posso descartar endometriose? Moro em outro país e não falo o idioma do médico aqui, gostaria de ter a orientação de alguém, se puderem me ajudar, agradeço!

    • Dra. Silvana Chedid

      Bom dia Patricia,

      A Endometriose é uma doença que ainda tem um difícil diagnóstico. Os exames para detectá-la podem ser a ultrassonografia com preparo onde o médico estará procurando especificamente focos de endometriose ou também a ressonância magnética com o mesmo fim.

      Apesar de ser menos comum, também existem casos de endometriose que não produzem sintomas, por isso, para responder sua pergunta realmente é preciso fazer uma análise detalhada do seu caso e exames próprios.

      Para conversar com seu médico se não fala seu idioma, tente fazer um script por escrito no idioma do médico, para que ele possa entender seu problema e sintomas.

      Boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.