Home / Mamãe / Comportamento / A gravidez tem seus lados difíceis

A gravidez tem seus lados difíceis

Foi um desafio definir o nome para esse post, variei entre muitos termos para evitar usar a palavra “difícil”, mas nenhuma outra conseguia passar a mensagem que eu desejava. Então, depois de muito reescrever, acabei decidindo manter o meu primeiro pensamento ao escrever: A gravidez tem seus lados difíceis.

Foto: Reprodução www.babygaga.com/
Foto: Reprodução www.babygaga.com

 

Os lados gloriosos da gravidez prevalecem nos textos que encontramos por aí: brilho nos olhos; emoção e milagre por gerar uma vida; grávida fica mais bonita e feminina (será?)… São tantos pontos luminosos que, sem dúvidas, faz o lado mais obscuro se tornar secundário.

Mas os lados obscuros existem e toda mulher grávida tem sim o direito de não admirar seu reflexo arredondado no espelho, ou mesmo não levar tantas lembranças positivas da gravidez.

O que motivou a escrever sobre os lados difíceis da gestação foi que recentemente vi uma postagem no Facebook de uma mulher que reclamava do incômodo que era estar grávida e que não via a horar de se livrar da pança e voltar a ter um corpo normal. Os comentários foram um show de horror: pessoas que indagavam se ela poderia ser uma boa mãe já que estava reclamando de carregar o filho na barriga – heim?! – outras que a ofendiam por ser egoísta e pensar mais no próprio corpo do que em seu bebê, enfim, dá para gastar o teclado de tanto digitar os absurdos que li alí.

O que os haters – termo para definir pessoas que postam comentários de ódio ou críticas sem muito critério – não sabem é o que essa mulher passou durante sua gestação. Na verdade nem eu sei, mas julgar a qualidade de uma mãe por um post no Facebook é muito para minha cabeça.

A gravidez tem seus lados difíceis e ela pode ter passado por vários problemas:

Quem sabe ela sofreu ou sofre algum tipo de violência;

Quem sabe ela sofreu por hiperemese gravídicatem um post aqui no site que explica melhor sobre a hiperemese gravídica – e vomitou várias vezes ao dia, não só no primeiro trimestre, mas em toda a gestação;

Quem sabe ela está sofrendo de depressãoque acomete cerca de 10% das gestantes, mas a maioria não assume ou procura por ajuda para não ser julgada como uma mãe ruim;

Quem sabe é uma gravidez de risco e os tratamentos pelos quais tem passado são muito desgastantes;

Quem sabe ela sofreu de dores nas costas que dificultaram até sua locomoção – eu mesma passei por isso na segunda gestação, por conta do nervo ciático inflamar eu não conseguia mais levantar sem ajuda ou pegar meu filho, na época com 1 ano, no colo, resultando num terceiro trimestre gestacional complicado;

Quem sabe ela simplesmente não gosta de seu corpo durante a gravidez, sua pele está com espinhas, seu cabelo estranho e sem vida, sua silhueta não combina com seu estilo de se vestir;

Quem sabe ela esteja se sentindo rejeitada pelo seu companheiro que não a acha tão sexy grávida ou tem medo de machucar o bebê se fizerem sexo;

Quem sabe o turbilhão de hormônios mexeu com seu estado emocional, o que a deixou mais irritadiça, chorona ou melancólica, e todos esses sentimentos a fazem se sentir mal com ela mesma;

Quem sabe ela não aguenta mais ouvir tantos julgamentos sobre o tipo de parto que ela deve adotar;

Quem sabe ela só teve um dia ruim, talvez até mesmo por não ter conseguido amarrar seus tênis por conta da barriga, resolveu desabafar para alguns amigos no Facebook e esqueceu – ou não sabe – alterar a configuração de privacidade e ficou a mercê de haters que a deixaram ainda mais abalada;

Quem sabe ela está cansada por conta do trabalho, dos preparativos para a chegada do bebê, da imensa lista de enxoval que ainda não está completa;

Ou até mesmo ela, como outras muitas outras mulheres, simplesmente não curte estar grávida e não viu problema em assumir esse sentimento.

Enfim, os motivos podem ser inúmeros e minha intensão ao listar alguns foi mostrar que realmente não podemos julgar. O apoio e a liberdade continuam sendo as melhores ferramentas para que a mulher possa ser e sentir.

Romper os tabus de gestação colorida e maternidade perfeita é importante para que todas as gestantes possam assumir suas angústias sem sofrerem com preconceitos, vergonhas ou julgamentos.

Não curtir estar grávida é um direito da mulher sim e também precisamos falar sobre isso.

 

Beijos e até o próximo post.

Você também pode gostar de ler:

Eu sou melhor mãe do que você
Permissão para respirar
Maternidade: uma piscina olímpica na testa

Sobre Monica Romeiro

Monica Romeiro
Monica Romeiro é mamãe babona e apaixonada do Lucas - nascido em janeiro de 2011 - e da Larissa - nascida em julho de 2012 -, casada, publicitária por formação e empreendedora na Internet por paixão – paixão por criar, ler, escrever, pesquisar, colaborar, navegar, ajudar e compartilhar suas experiências. Escreve (sem papas na língua) sobre maternidade e dá dicas sobre empreendedorismo.

Veja também

Lei da cadeirinha para carro em Orlando e em toda Flórida EUA

Confira as regras e a lei da cadeirinha para carro em Orlando para crianças de 0 a 6 anos ou até 1,45m de altura e as regras da cadeirinha para Uber e Taxi.

6 comentários

  1. Olá monica estou gravida do primeiro filho e estou de três meses, minha gravidez e sofro com uma condição que e bem rara( mas nem tanto) o IIC ( incompetência istmo cervical) quando descobri foi um choque porque queria muito uma gravidez tranquila, mas comecei a ter sangramentos e ninguém sabia o que era…
    Tive outro sangramento e corri para o medico, enfim encontrei alguém que pôde me ajudar, descobrindo que eu sofria do IIC, fiquei triste porque não queria passar por isso e me indicou a Cerclagem que e o procedimento cirúrgico para evitar o aborto espontâneo. Fiz pela rede publica tem quase um mês, mas preciso ficar em repouso absoluto, meu marido tenque fazer tudo, me sinto mal por isso… Tenho ainda medo de perder o meu bebê, mas com o passar dos dias, minha fé aumentou… Tive muita dificuldade pra encontrar informações a respeito disso e muitos médicos nem sabe o que é. Vi alguns relatos, mas enrolava mais e nao era muito objetivo, queria saber se poderia fazer um video ou até uma matéria aqui falando mais a respeito disso, os sintomas, cuidados pós cirúrgicos, sensações que pode ser sentida depois da cerclagem, tipo o que e normal ou o que não é, o que pode o que não pode, como fazer um enxoval de um bebê, ou ate fazer compras numa situação aonde o repouso e absoluto, quais as chances de a Cerclagem nao certo, ou seja ps riscos… Enfim procurei muito mas não tem muito, não tem um médico falando a respeito, e quando falam e muito vago, por favor me ajude.

    • Monica Romeiro

      Olá Mel!
      Parabéns por sua gestação! Tenho certeza que seguindo corretamente as orientações de seu médico tudo ficará bem.
      A IIC é uma das responsáveis por abortos repetitivos, e a cerclagem é a cirurgia que obtém mais sucesso para que o seu bebê chegue na época certa e esbanjando saúde, assim como você. Algumas mulheres precisam do repouso absoluto após a cerclagem e a recomendação é realizada de acordo com cada caso, sempre com o propósito de evitar o parto prematuro.
      Anotei suas sugestões e já coloquei no cronograma para produzir um vídeo sobre a IIC e a cerclagem.
      Desejo à você Mel, e ao seu bebê, muita saúde e que tudo ocorra super bem, estou aqui torcendo para que os dias sejam mais leves e você possa lidar melhor com o repouso (que, cá entre nós, não é nada fácil, mas extremamente necessário). Acredite, tudo vai valer a pena!!
      Beijos em seu coração e outro na barriga!

  2. Olá..Amei o texto é bem verdade,isso realmente acontece.Eu simplesmente amo a minha menina que está a caminho,é a primeira e estou muito feliz com a vinda da Rebeca,mais ficar ouvindo que tipo de parto devo escolher,as pessoas me julgando se estou ou não com o pai dela são coisas que me irritam mais ainda.E nesses últimos dias tenho sentido muitas dores nas costas e principalmente nas panturrilhas,não consigo andar,preciso andar se arrastando e preciso de ajuda até pra deitar,isso tem me incomodado muito,chorei muito já e a dor não passa.Estou com 30 semanas e com essas dores e ja nem sei o que fazer pra passar.

    • Monica Romeiro
      Monica Romeiro

      Olá Evelin,
      Tente não se magoar com as pessoas que estão lhe aconselhando, a grande maioria acredita estar te ajudando com os conselhos. O que importa mesmo é o amor pela sua Rebeca que logo deixará seu mundo mais cor de rosa e feliz.
      As dores são mesmo um incômodo que parece que nunca vai passar! Passei por isso também e meu médico me receitou uma injeção que melhorou muito minha qualidade de vida no final da gestação, Converse com seu médico, quem sabe existe um medicamento, exercício ou alongamento que seja seguro para você e para a Rebeca e que consiga deixar esse terceiro trimestre mais confortável para você.
      Beijo cheio de carinho e, desde já, desejo a você uma ótima hora. Que a Rebeca chegue na hora certa, esbanjando saúde e trazendo muitas felicidades e harmonia para vocês.

  3. Perfeito seu texto.
    Muitos julgam sem saber a real.
    Passo por isso. Estou com 7 meses e nao gosto de estar grávida, mas amo meu garotão que está chegando.
    Motivos? Tenho muitos!
    Passo mal, enjoo, desmaio, nariz sangra, anemia, rotina de medicos, exames, hospitais, meu corpo, desejo sexual, etc..
    Poderia ficar aqui citando muitos, mas as pessoas sempre estarão prontas para julgar cada um deles.
    Aprendi a não fazê-las entender meu lado.
    Deixo-as falando enquanto sinto os chutes do meu Luan!

    • Monica Romeiro
      Monica Romeiro

      Tudo bem Adla?
      Parabéns pelo Luan!! Gerar uma nova vida é, sem dúvidas, um milagre, mas realmente nem todas as pessoas estão prontas para entender que a gestação pode ser complicada e desconfortável para algumas mulheres e acabam julgando por suas próprias experiências positivas ou por medo de serem vistas como péssimas mães, não é mesmo?
      Beijos para você e para o Luan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.