Recém-nascidos – Almanaque dos Pais https://www.almanaquedospais.com.br Do sonho de ser mãe aos 6 anos do seu filho Tue, 05 Feb 2019 17:57:25 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=5.1 https://www.almanaquedospais.com.br/wp-content/uploads/2016/09/cropped-logo-Almanaque-dos-pais-512x512-150x150.png Recém-nascidos – Almanaque dos Pais https://www.almanaquedospais.com.br 32 32 Visão Do Bebê: Entenda os mistérios e cuidados https://www.almanaquedospais.com.br/visao-do-bebe-entenda-os-misterios-e-cuidados/ https://www.almanaquedospais.com.br/visao-do-bebe-entenda-os-misterios-e-cuidados/#respond Mon, 16 Jul 2018 11:00:54 +0000 https://www.almanaquedospais.com.br/?p=14566 A visão do bebê é algo que desperta muitas dúvidas nos pais, principalmente para os marinheiros de primeira viagem. Primeiramente, é fundamental que você compreenda que um recém-nascido não possui a visão totalmente desenvolvida. Por este motivo os bebês não enxergam como os adultos, pois sua visão ainda está em fase de desenvolvimento. Porém, isso …

The post Visão Do Bebê: Entenda os mistérios e cuidados appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
A visão do bebê é algo que desperta muitas dúvidas nos pais, principalmente para os marinheiros de primeira viagem.

visão do bebê

Primeiramente, é fundamental que você compreenda que um recém-nascido não possui a visão totalmente desenvolvida. Por este motivo os bebês não enxergam como os adultos, pois sua visão ainda está em fase de desenvolvimento.

Porém, isso não quer dizer que os bebês não enxerguem. Aliás, os bebês começam a enxergar desde o momento do seu nascimento.

Mas por não estarem com a visão completamente formada, no início os pequenos enxergam com um aspecto turvo e embaçado. Destacando que a visão embaçada nos recém-nascidos e bebês não representa nenhum mal, e não quer dizer que o seu bebê tenha problemas visuais.

Por este motivo, não se preocupe se nos primeiros meses de vida o bebê ficar ‘vesguinho’, pois ele ainda não domina a técnica de focalizar objetos e pessoas com os dois olhos.

Quando o bebê passa a enxergar com nitidez?

A partir do seu nascimento o bebê estará em constante processo de desenvolvimento e amadurecimento.

Por volta dos três meses, os bebês param de ficar vesgos, começam a focalizar pessoas e objetos e também a seguir movimentos com os olhos.

No entanto, é somente por volta dos 6 aos 8 meses que seu bebê começará a ver imagens mais nítidas, se assemelhando mais a visão dos adultos. Mas vale ressaltar que cada criança possui seu próprio ritmo de desenvolvimento, por isso, esse tempo pode variar de bebê para bebê.

A pessoa mais indicada para avaliar o desenvolvimento e aperfeiçoamento da visão do bebê é o oftalmo-pediatra. Que poderá dizer com precisão se está tudo ok com o desenvolvimento da visão do seu pequeno.

Como a visão do bebê se desenvolve?

Assim que nascem, os recém-nascidos conseguem identificar a luz, os movimentos e também as cores fortes. Por isso objetos com cores fortes e chamativas atraem imediatamente a atenção dos bebês.

No início os bebês enxergam melhor a uma distância de no máximo 30 centímetros, pois dentro deste campo de visão eles conseguem ver mais detalhes e com uma nitidez melhor.

Surpreendentemente esta é a aproximadamente a distância entre o rosto do bebê e o da mamãe na hora da amamentação. Por isso o bebê consegue gravar a imagem de sua mamãe já nos seus primeiros dias de vida.

Cuidados com a visão do bebê

A visão dos bebês se desenvolve naturalmente e não requer intervenção dos pais e cuidadores.

Mas para estimula-lo a desenvolver o sentido da visão, especialistas recomendam que desde cedo os pais aproximem do rosto do bebê objetos e brinquedos com cores fortes e vibrantes.

Movimentar o objeto e fazer com que o bebê acompanhe esses movimentos também auxilia no desenvolvimento dos olhos.

Os livros infantis, repletos de desenhos e cores, também são ótimos para o desenvolvimento da visão dos pequenos. Diferente das telas de celulares e televisão, os livros não são prejudiciais e além de auxiliar a visão, ainda ajudam no desenvolvimento da inteligência e raciocínio da criança.

Quer saber mais sobre o desenvolvimento da visão do seu bebê?

Clique aqui e saiba mais sobre os cuidados e o amadurecimento da visão dos pequenos.

Você também vai gostar de ver:

Icterícia no bebê: o que é, como diagnosticar e como tratar
Tabela do Sono do Bebê e Criança – 0 a 12 anos
Alimentos que soltam o intestino do bebê
Brotoeja em bebês – como tratar e evitar as brotoejas

 

The post Visão Do Bebê: Entenda os mistérios e cuidados appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
https://www.almanaquedospais.com.br/visao-do-bebe-entenda-os-misterios-e-cuidados/feed/ 0
Icterícia no bebê: o que é, como diagnosticar e como tratar https://www.almanaquedospais.com.br/ictericia-no-bebe-o-que-e-como-diagnosticar-e-como-tratar/ https://www.almanaquedospais.com.br/ictericia-no-bebe-o-que-e-como-diagnosticar-e-como-tratar/#respond Mon, 23 Apr 2018 10:00:19 +0000 http://www.almanaquedospais.com.br/?p=13068 Icterícia acontece quando há acúmulo de bilirrubina no sangue, um pigmento produzido pelo organismo, metabolizado pelo fígado e eliminado pelas fezes e urina

The post Icterícia no bebê: o que é, como diagnosticar e como tratar appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
O que é Icterícia?

Icterícia acontece quando há o acúmulo de bilirrubina no sangue, um pigmento produzido pelo organismo e que é metabolizado pelo fígado e eliminado através das fezes e urina – por isso a coloração amarelada na urina.

ictericia-no-bebe

Fonte: Reprodução http://madreshoy.com

Esse acúmulo de bilirrubina no sangue acontece nos bebês, especialmente entre o 2º e 3º dia de vida, devido ao seu organismo não conseguir eliminar esse pigmento devido à imaturidade de seu organismo. Por esta razão a icterícia é tão comuns nos bebês, especialmente quando há incompatibilidade sanguínea.

Outro fator que pode aumentar a ocorrência da icterícia é a prematuridade.

Como a icterícia é diagnosticada

Todo bebê nascido em hospital ou maternidade é avaliado pelo pediatra diariamente. Quando o bebê ictérico está em local com bastante luminosidade, é possível notar que sua pele está mais amarelada, inclusive o branco dos olhos também fica amarelado. Em alguns casos o médico pediatra pode pedir avaliação laboratorial.

Esta coloração geralmente começa no rostinho do bebê, podendo progredir por todo seu corpo.

Cerca de 48 a 72 horas após a alta hospitalar do bebê, o pediatra escolhido pela família deverá realizar uma avaliação clínica, o que inclui a avaliação da icterícia.

Como é o tratamento para a icterícia?

A maioria dos bebês apresentam icterícia leve, que não precisa de tratamento, porém em alguns casos a concentração de bilirrubina é maior e para evitar complicações um médico pediatra pode indicar um tratamento chamado fototerapia, popularmente conhecido como banho de luz.

fototerapia-by-maderhoy-com

Fonte: Reprodução https://madreshoy.com

A Fototerapia consiste em aplicar luz fluorescente na pele exposta do bebê. O bebê recebe a fototerapia nu e deve ser virado para que todo seu corpo receba a luz. Para proteção os olhos do bebê são vendados e protegidos desta luz.

Amamentação como tratamento auxiliar da icterícia

A amamentação também é importante para o bebê ictérico. Ao ser amamentado várias vezes ao dia, o bebê fica mais hidratado, facilitando a eliminação da bilirrubina pelas fezes e urina.

Fonte: Pro Matre Paulista

Você também vai gostar de ler:

Devo acordar o bebê para amamentar?
O que você deve fazer enquanto amamenta o seu bebê
10 Dicas para o bebê dormir bem nos dias e noites quentes
Gripe e resfriado em bebês e crianças – como evitar e cuidados

The post Icterícia no bebê: o que é, como diagnosticar e como tratar appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
https://www.almanaquedospais.com.br/ictericia-no-bebe-o-que-e-como-diagnosticar-e-como-tratar/feed/ 0
Tabela do Sono do Bebê e Criança – 0 a 12 anos https://www.almanaquedospais.com.br/tabela-do-sono-do-bebe-e-crianca-0-a-12-anos/ https://www.almanaquedospais.com.br/tabela-do-sono-do-bebe-e-crianca-0-a-12-anos/#respond Tue, 19 Sep 2017 11:00:27 +0000 https://www.almanaquedospais.com.br/?p=14372 Conheça a Tabela do Sono do Bebê e Crianças, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria. É importante ressaltar que cada criança é única, e a necessidade de cada indivíduo pode variar em até duas horas a mais ou a menos de sono por dia, sem que signifique qualquer problema de saúde. Outra característica que deve …

The post Tabela do Sono do Bebê e Criança – 0 a 12 anos appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
Conheça a Tabela do Sono do Bebê e Crianças, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria.

É importante ressaltar que cada criança é única, e a necessidade de cada indivíduo pode variar em até duas horas a mais ou a menos de sono por dia, sem que signifique qualquer problema de saúde.

Outra característica que deve ser levada em consideração, é que algumas crianças com rotina de sono noturna bem estabelecida, podem preferir dormir menos durante o dia, ou até mesmo abandonar as sonecas da tarde, e compensam dormindo mais durante a noite. Esta preferência costuma acontecer com crianças a partir dos dois anos.

Tabela do Sono do Bebê e Crianças

tabela do sono do bebê e criança

Como estabelecer a rotina do sono para bebês e crianças

Somente o relógio não é suficiente para uma noite tranquila, por isto o ideal é que a rotina comece pelo menos 30 minutos antes da hora de dormir para que a criança comece a relaxar e esteja pronta para dormir quando chegar o momento.

Dizer simplesmente que chegou a hora de dormir, sem que a criança tenha vivido uma experiencia que a leve para essa situação, torna muito mais difícil para ela aceitar que é hora de ir para a cama.

Se possível, desligue as telas (televisão, tablet, celular…) duas horas antes do momento de dormir, as telas prejudicam não só o sono, mas também nos sonhos que ficam mais agitados por conta da influência das luzes e movimentos. Prefira músicas mais tranquilas para este horário e o brincar está liberado.

Após o jantar, é hora de diminuir as luzes da casa, deixe apenas as luzes mais necessárias acesas, a iluminação baixa relaxa e facilita a chegada do sono.

A rotina deve continuar com um banho morno, sem muitas brincadeiras agitadas. As conversas também devem ser em um tom um pouco mais baixo e os assuntos mais leves.

Após o banho é hora do leitinho (amamentação, mamadeira ou leite no copo) e escovar os dentes.

Por último, hora de ir para a cama. Ler histórias deixa o ritual do sono mais gostoso e estimula a criatividade dos pequenos, que ficam imaginando as cenas e se envolvendo com a história. Se a história for longa, conte poucos capítulos por dia.

Luzes apagadas, palavras doces sussurradas baixinho, beijo de boa noite!

E a rotina do sono não acaba quando a criança dorme, mas sim quando ela acorda pela manhã. É fundamental mostrar o quanto está feliz pelo dia que começa, desejar um bom dia e dar um abraço bem gostoso.

Você também vai gostar de ler:

Meu filho não gosta de comer, o que faço?
O que diminui e o que pode aumentar a produção de leite materno
Quando nascem os primeiros dentinhos do bebê
10 dicas para viajar de avião com bebês e crianças

The post Tabela do Sono do Bebê e Criança – 0 a 12 anos appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
https://www.almanaquedospais.com.br/tabela-do-sono-do-bebe-e-crianca-0-a-12-anos/feed/ 0
Regras para visitar bebê recém-nascido e dicas de presentes https://www.almanaquedospais.com.br/regras-para-visitar-bebe-recem-nascido-e-dicas-de-presentes/ https://www.almanaquedospais.com.br/regras-para-visitar-bebe-recem-nascido-e-dicas-de-presentes/#comments Wed, 30 Aug 2017 13:00:51 +0000 http://www.almanaquedospais.com.br/?p=7584 A vontade de conhecer o mais novo membro da família, ou o filho daquele grande amigo, é enorme. Ver seu rostinho, estar ao lado dos pais para viver esse lindo momento na vida do casal, enfim, visitar bebê recém-nascido no hospital ou em sua casa é uma delícia, porém requer alguns cuidados para que a …

The post Regras para visitar bebê recém-nascido e dicas de presentes appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
A vontade de conhecer o mais novo membro da família, ou o filho daquele grande amigo, é enorme. Ver seu rostinho, estar ao lado dos pais para viver esse lindo momento na vida do casal, enfim, visitar bebê recém-nascido no hospital ou em sua casa é uma delícia, porém requer alguns cuidados para que a visita não vire um transtorno.

visitar bebê recém-nascido

Regras para visitar bebê recém-nascido

1-) Se não for da família ou muito íntimo, evite visitar no dia do nascimento

O dia do nascimento do bebê é exaustivo para a nova mamãe, que passou algumas horas se dedicando ao parto (seja natural ou cesariana) e sua recuperação.

É importante que a nova mamãe descanse, fale pouco para evitar formação de gases, e que concentre sua energia em seu filho: amamentação, carinho, cheiro e declarações de amor. Portanto, se você não é aquele amigo íntimo, ou um familiar próximo, o melhor é evitar visitar no primeiro dia.

2-) Somente os mais próximos devem visitar o bebê na maternidade

Na maternidade a mamãe não tem muita privacidade, precisando algumas vezes expor os seios para amamentar o bebê, se levantar ainda meio desajeitada – devido ao parto normal ou cesariana – para ir ao banheiro deixando sua roupa íntima exposta, enfim, se você não tem muita intimidade com a mamãe, é melhor aguardar umas semaninhas para visitar o bebê em sua casa.

Algumas pessoas podem defender que a maternidade é um local adequado para visitas porque a mamãe não precisa “fazer sala”, mas lembre-se que a etiqueta para visitar um bebê em sua casa também desobriga a mamãe de servir qualquer petisco, deve ser sempre breve e em horário combinado! Falaremos sobre isso mais abaixo.

3-) Quando visitar o bebê recém-nascido em casa

Ao chegar da maternidade os papais levam um tempinho para ajustar a rotina em casa, organizar as roupas, desfazer malas e colocar a casa em ordem. Aguarde cerca de 2 semanas para visitar, porém ligue antes para saber qual o melhor momento.

Nunca peça para os papais nada além de água. Nada de cervejinha, café, suco, drinques, lanches ou petiscos. Você está indo para visitar o bebê recém-nascido e não para ficar jogando conversa fora e tirar a concentração dos papais em criar uma nova rotina com o bebê.

4-) Marque um horário

Não é agendamento de consulta, mas é importante que você ligue para a nova mamãe e combine um horário que seja bom para todos. Chegar no horário combinado é elegante e necessário!

Se notar que a outras pessoas estão chegando e a casa está ficando barulhenta ou cheia, é hora de parabenizar os papais e se despedir.

5-) Não use perfumes ou hidratantes muito cheirosos. Fumantes: Fiquem longe do fumo pelo menos 2 horas antes da visita

Cheiros fortes podem causar alergias no bebê e é por isso que as flores que a mamãe recebe ficam do lado de fora do quarto. Então nada de perfumes, hidratantes cheirosos e, obviamente, fumo.

O cheiro do fumo permanece na pele, roupa, cabelo e hálito por muito mais tempo do que 2 horas, mas se você não consegue ficar longe do fumo por pelo menos 2 horas antes da visita, é melhor manter alguma distância do bebê e da mamãe.

6-) Na hora da mamada dê privacidade para a mamãe

Se notou que está na hora da mamada, dê privacidade para a mamãe e bebê. Na maternidade a dica é sair do quarto até que a mamada tenha se encerrado. Se você está na casa da nova mamãe, ofereça para pegar um copo d’água para ela (amamentar dá uma sede enorme) e enrole alguns minutos até que a bebê já esteja mamando e a mamãe acomodada.

Após levar o copo com água, você pode aproveitar para ir ao banheiro e, se tiver mais intimidade, oferecer para preparar o banho da mamãe ou ajudar a organizar algum cômodo ou item que a mamãe esteja precisando.

7-) Quanto tempo deve durar a visita ao bebê recém-nascido

Visitas longas estão fora de cogitação! Sendo em casa ou na maternidade a mamãe está focada em satisfazer as necessidades de seu bebê e, quando sobra um tempinho, descansar. O tempo ideal da visita é de 20 minutos.

Lembre-se sempre: a casa não precisará estar arrumada para te receber, o mais importante é que mamãe e bebê estejam confortáveis!

8 -) Lave as mãos assim que entrar na casa ou quarto da maternidade

A primeira ação que você deve tomar ao entrar na casa ou no quarto da maternidade, é lavar suas mãos e passar álcool em gel. Faça isso antes mesmo de cumprimentar os novos papais.

9-) Se está doente, uma ligação é mais elegante que uma visita

Gripe, resfriado, mal-estar… não importa o tipo da doença, se há risco de ser transmissível é melhor deixar a visita para depois. O bebê ainda é muito frágil e o simples resfriado pode ter consequências desastrosas em seu pequeno organismo.

Ligue para os novos papais e parabenize, por telefone, a chegada do herdeiro. Combine uma visita para quando estiver 100%.

10-) Quando pegar o bebê no colo

Pode ser irresistível pegar aquele pequeno ser tão frágil e lindo em seus braços, mas só o faça se os papais oferecerem (perguntar se pode pegar o bebê não é adequado).

Muitas vezes os papais ainda estão apreensivos quanto aos cuidados com o bebê e podem se sentir desconfortáveis ao verem alguém pegando o pequeno herdeiro.

11-) Não segure as mãos do bebê e nada de beijos

As mãos do bebê são lindas e a sensação de quando eles seguram nossos dedos é maravilhosa. Mas resista aos seus instintos e não coloque suas mãos nas mãos do bebê. O bebê frequentemente leva suas mãozinhas à boca e, junto com ela, todos os vermes, sujeiras e bactérias que foram passadas por outras pessoas. Essa regra vale para sempre, ou seja, nunca acaricie e segure as mãos dos bebês recém-nascidos ou crescidinhos.

Dar beijos em seu pequeno rostinho pode ser tentador, mas é mais um impulso que você precisa controlar para evitar qualquer transtorno para o bebê.

12-) Vai fotografar, então desligue o Flash

Antes de sacar a máquina fotográfica, vale perguntar aos papais se pode tirar algumas fotos do bebê (alguns papais preferem preservar seu filho nos primeiros dias, então para não tornar a situação constrangedora sempre pergunte antes mesmo de pegar a máquina).

Se as fotos foram autorizadas, desligue o flash para proteger os olhinhos do bebê e registre esse momento tão especial.

13-) Nunca coloque fotos do bebê nas redes sociais

Nunca, em hipótese alguma, coloque as fotos do bebê ou dos papais nas redes sociais!

Tudo que é compartilhado nas redes torna-se público e somente os pais podem decidir se querem expor ou não seus filhos. O mesmo vale para avisar que o bebê nasceu, somente comunique se os papais pedirem, senão deixe que eles tenham o prazer de anunciar aos sete ventos que o mais novo herdeiro chegou.

14-) Nada de ficar dando palpites sobre os cuidados com o bebê

Se você já é papai ou mamãe experiente e percebe que os novos papais estão com dificuldades para lidar com algum cuidado com o bebê, oferecer ajuda pode ser de grande valia, mas ficar dando palpite de como faz isso ou aquilo pode ser indelicado.

Antes de começar a tagarelar, pergunte ao casal se precisam de alguma ajuda. Se eles quiserem saber como você faz, eles perguntarão.

15-) Lembrancinhas

As lembrancinhas devem ser entregues pelos papais, e não há mal algum em lembrá-los se você já está indo embora, afinal são tantas novidades que é natural que os papais acabem se esquecendo de entregá-las.

Não ofereça para levar uma lembrancinha para fulano ou peça lembrancinhas para quem não foi visitar, geralmente os papais não compram em grande quantidade e este mimo é para quem já conheceu o pequeno herdeiro. Se oferecerem mais lembrancinhas não há mal em aceitar, mas nada de pedir mais.

Dicas de presentes:
presente

A-) Presente para o bebê recém-nascido

É educado levar uma lembrancinha para o recém-nascido e não precisa ser nada oneroso. Os presentes mais indicados são:
– roupinha (macacão tamanho M ou G fazem muito sucesso);
– pulseira, colar ou brincos (sempre de ouro para não causar alergia no bebê);
– brinquedo (chocalho, pelúcia…);
– sapatinho;
– manta de algodão;
– artigo de banho (shampoo, sabonete líquido, hidratante…);
– porta-retratos ou álbum do bebê.

B-) Presente para a mamãe

Algumas pessoas condenam levar flores para a mamãe, afinal elas precisam ficar fora do quarto da maternidade ou do cômodo da casa em que o bebê pode ficar para evitar alergias. Porém não há mal algum em levar flores desde que você se lembre de mostrar a ela o presente e colocá-lo em um lugar apropriado sem que ela precise se levantar ou ter contato com as flores para isso.

Outros presentes menos polêmicos que você pode levar para a mamãe são:
– guloseimas (bombons, balas e biscoitos finos, brigadeiro de colher…);
– pulseira, colar ou anel com inicial ou nome do filho ou pingente que tenha relação com o bebê;
– camisola ou pijama que facilite a amamentação;
– livros com temática da maternidade.

C-) Presente para o irmão mais velho

Levar um presentinho para o irmão mais velho é um sinal de carinho, afinal ele pode estar enciumado por ter que dividir a atenção, ou até mesmo achar que está perdendo seu espaço na família.

O único presente que o irmão mais velho deve ganhar é BRINQUEDO, afinal roupas não são os presentes preferidos das crianças, não é mesmo?

D-) Presente para o papai

O papai também pode ganhar presentes, especialmente de um grande amigo.Os presentes mais indicados são:
– bebidas;
– livros com temática da paternidade.

Você também vai gostar de ler:

Terrible two: Crianças com 2 anos, dê opções para evitar complicações
Grávida pode depilar com cera quente/fria, lâmina, laser ou cremes?
Comunicação – O que foi feito para nos aproximar, não deveria nos separar
O que diminui e o que pode aumentar a produção de leite materno


Conteúdo publicado originalmente em 04/05/2014 e atualizado em 30/08/2017

The post Regras para visitar bebê recém-nascido e dicas de presentes appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
https://www.almanaquedospais.com.br/regras-para-visitar-bebe-recem-nascido-e-dicas-de-presentes/feed/ 5
7 MITOS E VERDADES SOBRE O BEBÊ NO INVERNO https://www.almanaquedospais.com.br/7-mitos-e-verdades-sobre-o-bebe-no-inverno/ https://www.almanaquedospais.com.br/7-mitos-e-verdades-sobre-o-bebe-no-inverno/#respond Mon, 22 May 2017 10:00:35 +0000 https://www.almanaquedospais.com.br/?p=14161 7 Mitos e Verdades sobre o bebê no inverno Confira se você sabe tudo sobre os cuidados com os pequenos na temporada para que ele chegue quentinho à primavera A mudança de temperatura também exige uma série de adaptações na rotina para que seu pequeno possa se acostumar ao friozinho. No entanto, nem tudo o …

The post 7 MITOS E VERDADES SOBRE O BEBÊ NO INVERNO appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
bebê no inverno

7 Mitos e Verdades sobre o bebê no inverno

Confira se você sabe tudo sobre os cuidados com os pequenos na temporada para que ele chegue quentinho à primavera

A mudança de temperatura também exige uma série de adaptações na rotina para que seu pequeno possa se acostumar ao friozinho. No entanto, nem tudo o que você já ouviu sobre os bebês e o inverno é realmente verdade, e, para evitar cair nos mitos dessa temporada, tente adivinhar e descubra quais atitudes são as melhores para o seu bebê no inverno. A Alô Bebê preparou algumas dicas. Confira:

1) DEVO VERIFICAR MÃOS E PÉS PARA SABER SE O PEQUENO SENTE FRIO

Parcialmente verdade. Saber se o bebê está quentinho o suficiente ou está passando frio é uma das principais preocupações da mamãe na estação. Para isso, além de conferir as extremidades do seu pequeno, que naturalmente são um pouco mais geladas que o resto do corpo (mas atenção: só um pouco!), é aconselhável tocar no tronco e no abdômen da criança.  Se essa região estiver gelada, o pequeno está com frio. Fique atenta, ainda, à aparência do bebê para conseguir descobrir essa informação: bebês que estão com frio ficam mais irritados e mais pálidos que o normal. Na dúvida, use o bom o velho termômetro: temperaturas abaixo de 35,5° Celsius são preocupantes!

2) O BEBÊ PRECISA USAR BASTANTE ROUPA

Mito. A partir do primeiro mês de vida, os bebês já são capazes de regular a temperatura do próprio corpo. Isso quer dizer que, após esse período, a sensação térmica para eles e para os adultos é muito similar e, se você não está vestindo diversos agasalhos, o seu bebê também não precisará de tanta proteção. Via de regra, uma camada a mais de roupa em relação aos pais é suficiente para deixar o seu filho bem aquecido, mas é aconselhável prestar atenção aos sinais de frio no pequeno. Procure vestir a criança em camadas, da mais fina para a mais grossa (um body, depois um macacão de manga longa, um moletom e, por último, uma jaqueta, se necessário) para que você possa ir adaptando as roupas à temperatura do ambiente. O excesso de vestimentas pode causar hipertermia, ou seja, o aumento da temperatura corporal, deixando o pequeno desidratado.

3) O BEBÊ NÃO PRECISA TOMAR BANHO MAIS QUENTE

Verdade. A temperatura da água deve estar entre 36 e 37° Celsius em qualquer estação do ano pois a pele do pequeno é extremamente delicada. Você também não precisa aumentar a frequência dos banhos do bebê, pois, ao tirar as roupinhas, ele ficará exposto às baixas temperaturas. Sequer é preciso banhar o seu filho todos os dias: no inverno, você pode higienizar com algodão e água morna as partes do corpo que ficam mais sujas e suadas, como a região genital, o rosto, o pescoço, os pés e as mãos, enquanto estiver fazendo a troca de fraldas. De preferência, o que deve estar mais aquecido são os ambientes que o bebê terá acesso enquanto estiver sem as roupas adequadas para o frio, como o banheiro e o quarto.

4) NÃO DEVO USAR AQUECEDOR PARA AQUECER O QUARTO

Mito. É fato que o uso de aparelhos como aquecedores no inverno (e ar condicionado no verão) diminuem a qualidade do ar, deixando-o muito seco e prejudicando a respiração, mas o aquecedor não está proibido. A melhor saída é combinar o aparelho com uma forma de umidificar o ar. Para isso, deixe uma bacia de água ou uma toalha úmida no quarto, mas longe do alcance da criança, enquanto o aquecedor permanecer em funcionamento. Se preferir, adquira um umidificador de ambiente, mas não o use por tempo prolongado, pois podem surgir fungos se o ar ficar úmido demais. É fundamental manter o filtro de todos os equipamentos devidamente limpo.

5) PRECISO COLOCAR COBERTORES NO BERÇO DO BEBÊ NO INVERNO

Mito. O uso de cobertor, edredom e manta sem supervisão de um responsável é proibido mesmo nos dias frio de inverno devido ao altíssimo risco de sufocamento. A melhor forma de colocar o seu bebê para dormir confortavelmente e aquecido é usar a tática das camadas de roupa, vestindo o body, um pagão e o pijama na hora de ir para o berço. Outra opção, que ainda não é muito comum no Brasil, é usar um saco de dormir bem quentinho. Essa peça parece um saco mesmo, pois a parte inferior é totalmente fechada, enquanto que a superior possui alças para encaixar na criança para que ele não seja capaz de removê-la sozinho.

6) BEBÊS FICAM DOENTES NO INVERNO

Verdade. As doenças mais comuns que acometem os pequenos nessa época do ano são as alergias, o resfriado, a gripe e as “ites” (amidalite, faringite, laringite, sinusite). Além dessas, problemas de saúde grave podem acontecer, como a pneumonia e a meningite viral. A maioria dessas doenças é frequente no inverno pois estão associadas aos vírus. Eles circulam com mais facilidade em locais com muita gente e pouco arejados, pois você com certeza mantém as janelas bem fechadas para evitar o frio. Para evitá-las, é essencial não ficar em locais fechados com aglomeração de pessoas e realizar a higiene das mãos com mais frequência. Também é recomendável deixar o seu pequeno longe de familiares ou colegas doentes. Se o seu filho adoecer, ele não deve frequentar a escolinha até a total recuperação.

7) A PELE DO MEU FILHO PODE FICAR RESSECADA

Verdade. Como a pele do bebê é muito fina e sensível, as baixas temperaturas, os ventos gelados e os hábitos de inverno podem causar o ressecamento. As áreas mais atingidas são as bochechas e as pernas, que chegam a ficar vermelhas, com aspecto craquelado e textura áspera. Na maioria das vezes, o problema é apenas estético, mas pode haver lesões que permitem a entrada de micro-organismos nocivos. Para evitar o ressecamento, acabe com os banhos muito quentes e demorados e capriche na hidratação, tanto na pele do seu bebê, com cremes após o banho, quanto na amamentação ou ingestão de líquidos para os pequenos acima de seis meses de idade.

Você também vai gostar de ler:

Como tratar resfriado e gripe na gravidez
Afinal, os bebês sentem mais frio que os adultos?
Veja como prevenir seu bebê das doenças mais comuns do inverno
Troque alimentos por opções mais saudáveis

The post 7 MITOS E VERDADES SOBRE O BEBÊ NO INVERNO appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
https://www.almanaquedospais.com.br/7-mitos-e-verdades-sobre-o-bebe-no-inverno/feed/ 0
Colostro: O que é e para que serve o colostro https://www.almanaquedospais.com.br/colostro-o-que-e-e-para-que-serve-o-colostro/ https://www.almanaquedospais.com.br/colostro-o-que-e-e-para-que-serve-o-colostro/#comments Mon, 03 Apr 2017 09:00:12 +0000 http://www.almanaquedospais.com.br/?p=13257 O que é e para que serve o colostro? O colostro é o primeiro alimento do bebê e é produzido pela mama por volta do terceiro e quarto mês de gestação. A recomendação atual é que o bebê se alimente do colostro nos primeiros minutos de vida. O colostro é uma forma de leite amarelado que é …

The post Colostro: O que é e para que serve o colostro appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
O que é e para que serve o colostro?

O colostro é o primeiro alimento do bebê e é produzido pela mama por volta do terceiro e quarto mês de gestação. A recomendação atual é que o bebê se alimente do colostro nos primeiros minutos de vida.

colostro

O colostro é uma forma de leite amarelado que é secretado nos primeiros dias de amamentação. Ele é formado, principalmente, de água, leucócitos, proteínas e carboidratos e 15 dias após o parto e início da amamentação, se modificará para o leite maduro.

Seu baixo volume (pouca quantidade)está adequado com a capacidade gástrica do recém-nascido.

O colostro é a substância capaz de eliminar todos os resíduos do mecônio do trato intestinal do bebê, auxiliando no amadurecimento e funcionamento adequado do intestino, além de prevenir diarreias, alergias e infecções, pois equilibra adequadamente as bactérias que vivem no intestino.

No dia do parto é quando o colostro se apresenta mais rico.

É considerado, também, como a primeira vacina do bebê, pois é rico em células imunologicamente ativas, anticorpos e proteínas protetoras.

Você também vai gostar de ler:

Como os recém-nascidos enxergam
Devo acordar o bebê para amamentar?
Parece cólica, mas não é! Descubra o que pode causar choro no bebê
Mamilo rachado ou sangrando, o que fazer?


Conteúdo atualizado em 03/04/2017

The post Colostro: O que é e para que serve o colostro appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
https://www.almanaquedospais.com.br/colostro-o-que-e-e-para-que-serve-o-colostro/feed/ 2
Soluço do bebê: é normal soluçar todos os dias? Como parar? https://www.almanaquedospais.com.br/soluco-do-bebe-e-normal-solucar-todos-os-dias-como-parar/ https://www.almanaquedospais.com.br/soluco-do-bebe-e-normal-solucar-todos-os-dias-como-parar/#respond Thu, 27 Oct 2016 09:00:40 +0000 http://www.almanaquedospais.com.br/?p=13278 Entenda o que causa o soluço do bebê, como evitá-los, como parar com os soluços e quando o soluço é um sinal de alerta e deve ser investigado pelo médico

The post Soluço do bebê: é normal soluçar todos os dias? Como parar? appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
O soluço do bebê muitas vezes preocupa as mamães, dando uma sensação de que o bebê está sofrendo ou mesmo por desconfiar que pode ser sinal de algum probleminha. Mas o soluço no bebê é normal, inclusive antes de nascer eles já soluçavam dentro da barriga da mamãe.

soluco-do-bebe

Foto: Shuterstock

Soluço do bebê: é normal soluçar todos os dias?

É normal o recém-nascido soluçar todos os dias, inclusive em seu primeiro mês de vida ele pode chegar a soluçar até mais de uma vez por dia.

Da mesma forma que o soluço surge, sem aviso, ele também tende a desaparecer por volta dos 6 meses de idade, ficando cada vez mais raro de acontecer.

O que causa o soluço nos bebês?

Ao contrário do que a grande parte das pessoas acreditam, o soluço não está ligado ao engasgo, mas sim à imaturidade do diafragma do bebê, um músculo que separa cavidade abdominal da torácica e é o principal responsável pela nossa respiração.

A posição em que o bebê é amamentado, a rápida distensão abdominal causada pela alimentação em grande quantidade, ou mesmo se ele ingere muito ar durante a mamada – seja no seio materno, ou mamadeira – pode desencadear o soluço.

Outro fator que pode desencadear o soluço, porém não está ligada à alimentação, é a mudança repentina de temperatura.

Bebês que mamam em mamadeira tendem a soluçar mais do que os bebês que mamam no peito.

Nas crianças crescidinhas, um fator que contribui para o soluço é comer muito rápido ou falando, assim elas ingerem mais ar, um dos fatores que provoca o soluço.

O que fazer para EVITAR o soluço nos bebês?

1 ) O primeiro passo é se atentar à posição do bebê durante a mamada, evitando que ele fique na posição horizontal e que seu nariz esteja livre para respirar.

2 ) Durante à amamentação perceba se o seu bebê faz barulhinhos durante a sucção, o que seria um sinal de que ele está ingerindo ar junto com o leite. Neste caso o mais indicado é retirar o bebê do peito e ajustar a pega.

3 ) Após a amamentação, deixe o bebê em pé em seu colo por 10 a 15 minutos.

4 ) Coloque o bebê para arrotar.

5 ) Note se o soluço começou quando houve uma mudança rápida de temperatura e vista seu bebê de acordo com o clima. Se o bebê começou a soluçar durante o banho, cubra-o com a toalha, seque bem e coloque uma roupinha.

O soluço faz mal para o bebê?

Não, apesar de um ser muito desconfortável para os adultos, ele não incomoda tanto os bebês e não causa dor.

Quando o soluço no bebê pode ser sinal de problema?

Se o soluço atrapalha a rotina do bebê, dificultando alimentação ou mesmo o sono, é indicado conversar com o pediatra.

Outro caso de alerta é que bebês com refluxo acabam soluçando mais do que outros bebês. Procure pelo pediatra se o seu bebê, juntamente com o soluço, apresenta episódios de irritabilidade, tosse, vômitos ou refluxo.

Agora, se o seu filho já está com mais de 1 ano de idade e apresenta soluços frequentes, também vale a pena comentar com o pediatra para que ele investigue.

O que fazer para parar o soluço do bebê?

Se o soluço já começou, o desafio é tentar fazê-lo parar o quanto antes, porém não há uma solução que seja considerada eficiente por todos os médicos.

A única solução indicada é oferecer algo para o bebê ingerir, já que o movimento de sucção pode ajudar a estabilizar os espasmos do diafragma. Você pode oferecer a mama para os pequenos e para os crescidinhos pode oferecer mamadeira, suco natural ou água.

Soluções caseiras e crenças antigas ainda são utilizadas hoje em dia, como colocar um pedacinho de linha vermelha na testa do bebê. Essa simpatia, apesar de não trazer riscos para a criança, não possui comprovação científica, mas se você acredita nela, não custa nada tentar, certo?

Jamais dê susto ou permita que alguém assuste seu bebê com a finalidade de parar o soluço, apesar de surtir efeito com crianças maiores e adultos por liberar a adrenalina que pode inibir os espasmos do diafragma, o susto pode deixar seu bebê assutado, angustiado ou mesmo com medo, além de não surtir efeito para acabar com o soluço

Você também vai gostar de ler:

Parece cólica, mas não é! Descubra o que pode causar choro no bebê
Devo acordar o bebê para amamentar?
Pé cresceu depois da gravidez? É verdade!
Bebê com febre: tudo o que você precisa saber

The post Soluço do bebê: é normal soluçar todos os dias? Como parar? appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
https://www.almanaquedospais.com.br/soluco-do-bebe-e-normal-solucar-todos-os-dias-como-parar/feed/ 0
Parece cólica, mas não é! Descubra o que pode causar choro no bebê https://www.almanaquedospais.com.br/parece-colica-mas-nao-e-descubra-o-que-pode-causar-choro-no-bebe/ https://www.almanaquedospais.com.br/parece-colica-mas-nao-e-descubra-o-que-pode-causar-choro-no-bebe/#respond Thu, 13 Oct 2016 10:00:41 +0000 http://www.almanaquedospais.com.br/?p=13042 Parece cólica, mas não é: o bebê se contorce, barriguinha rígida, flexionando as perninhas, mãozinhas fechadas... Descubra o que pode causar choro no bebê

The post Parece cólica, mas não é! Descubra o que pode causar choro no bebê appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
Parece cólica…

Parece cólica, o bebê se contorce, está com a barriguinha rígida, flexionando as perninhas em direção ao abdômen, mãozinhas fechadas, com aquela feição de quem está fazendo muita força muito grande… mas será que é cólica mesmo?

Mas uma pesquisa realizada em 2015 nos Estados Unidos avaliou 10 bebês em que os pais tinham certeza que estava com cólica, mas somente 2 bebês realmente estava com cólica de verdade.

parece-colica-mas-nao-e

O que pode causar choro no bebê, e que parece cólica?

Os outros oito bebês estavam chorando por um outro desconforto que pode ser facilmente evitado: hiperestimulação!

O que é a hiperestimulação

No caso de bebês podemos explicar da seguinte maneira:

Quando o bebê está no ambiente uterino, ele tem uma temperatura que é sempre estável, os sons não são ouvidos tão altos, o cheirinho é sempre o mesmo, pode dormir e acordar quando quiser e está acostumado com o balanço materno, aquele caminhar e descansar da mãe.

Após o nascimento tudo muda, as luzes são muito mais fortes e mudam radicalmente de intensidade, muitas vozes, cheiros diferentes, troca de um colo para outro..

A mamãe, muitas vezes cansada de ficar em casa, resolve dar uma voltinha no shopping porque está chovendo, ou mesmo em uma praça num dia gostoso. Então o bebê se depara com mais cheiros estranhos para ele, barulhos altos, mais vozes, poluição….

E então o bebê se sente cansado por tanta informação que recebeu em apenas algumas horas. Esse excesso de estímulos deixou o bebê exausto.

Mas o bebê dormiu depois do passeio e só chorou no fim do dia

Na verdade o bebê geralmente acaba dormindo depois do passeio, e mesmo depois de relaxar com o soninho, quando ele acorda ainda está com toda aquela carga do dia, o seu cérebro tentando processar tantas informações novas que chegaram muito rápido, a tal da hiperestimulação.

Como evitar a hiperestimulação

Para evitar que seu filho seja estimulado demais, nos primeiros 3 meses de vida, tente manter uma rotina mais tranquila, evitando eventos, passeios movimentos, trocas de colo…

Claro que você quer apresentar seu herdeiro para seus familiares e amigos, e também aproveitar para sair um pouco de casa, sei que esse período não é nada fácil para a mãe, mas lembre-se que nesses primeiros 3 meses seu bebê também está muito suscetível à doenças.

Tendo um cuidado especial nesses primeiros 3 meses você também consegue evitar a hiperestimulação e se por um acaso você se deparar com aquele choro que parece cólica, é bem provável que realmente seja cólica.

Você também vai gostar de ler:

Vacina contra Meningite B – Meningococo B
Quando e como limpar brinquedos das crianças
Tabela de peso e altura para meninos de 0 a 2 anos
Tabela de peso e altura para meninas de 0 a 2 anos

The post Parece cólica, mas não é! Descubra o que pode causar choro no bebê appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
https://www.almanaquedospais.com.br/parece-colica-mas-nao-e-descubra-o-que-pode-causar-choro-no-bebe/feed/ 0
Vacina contra Meningite B – Meningococo B https://www.almanaquedospais.com.br/vacina-contra-meningite-b-meningococo-b/ https://www.almanaquedospais.com.br/vacina-contra-meningite-b-meningococo-b/#respond Wed, 07 Sep 2016 10:00:05 +0000 http://www.almanaquedospais.com.br/?p=12854 Saiba tudo sobre a vacina contra Meningite B (Meningococo B): quem deve receber a vacina, reações, como e quando deve ser aplicada e a doença meningite B

The post Vacina contra Meningite B – Meningococo B appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
A vacina contra o Meningococo B, também conhecida como vacina contra Meningite B, protege contra infecções causadas pelo meningococo tipo B, entre elas a meningite B, e que são doenças graves, com alto índice de mortalidade.

vacina-contra-meningite-b

Foto: Reprodução www.medicalnewstoday.com.jpg

Quem deve ser vacinado

Bebês acima dos 2 meses de idade a adultos com até 50 anos de idade.

A vacina contra meningite C faz parte do calendário de vacinação do Ministério da Saúde – para crianças menores de 2 anos – , porém a vacina contra Meningite B só está disponível na rede particular.

O que é doença Meningite tipo B?

Anualmente no Brasil cerca de 8 mil casos de meningite são registrados, sendo somente 20% deles causados pela meningite tipo B. Apesar do número de casos não ser considerado alto, a gravidade da doença é o fator que justifica a aplicação da vacina. Cerca de 25% das crianças com meningite B não sobrevivem e 20% das que conseguem sobreviver têm sequelas.

A bactéria meningococo B, causadora da meningite B, é uma das formas mais agressivas dessa doença. Ela causa uma infecção que provoca a inflamação do tecido que envolve o cérebro e a medula.

Como é realizada a aplicação da vacina

A vacina é administrada por injeção intramuscular profunda. Em bebês e crianças deve ser aplicada na região anterolateral da coxa, já em adultos pode ser aplicada no músculo deltoide.

Aplicação em 3 doses para bebês de 2 a 5 meses

Aplicação de 3 doses de 0,5 ml cada, com a primeira dose aos 2 meses de idade. O intervalo entre as doses deve ser superior a 1 mês.
Reforço com mais uma dose entre 12 e 15 meses.

Aplicação em 2 doses para bebês de 6 a 11 meses

Bebês não vacinados contra a Meningite B até os 6 meses de idade devem receber 2 doses de 0,5 ml  da vacina com intervalo mínimo entre elas de 2 meses.

Após os 2 anos de idade devem receber mais uma aplicação para reforço da vacina.

Aplicação em 2 doses para crianças entre 13 e 23 meses

Crianças a partir de 1 ano de idade e que não foram vacinadas contra a Meningite B devem receber 2 doses da vacina com intervalo mínimo de 2 meses entre cada aplicação.

A criança deve receber reforço entre 13 a 23 meses após a última aplicação da vacina.

Aplicação em 2 doses para crianças a partir dos 2 anos de idade até adultos com no máximo 50 anos de idade.

Crianças a partir de 2 ano de idade até adultos com no máximo 50 anos de idade e que não foram vacinadas contra a Meningite B devem receber 2 doses da vacina com intervalo mínimo de 2 meses entre cada aplicação.

A dose de reforço para crianças, adolescentes e adultos que se enquadram nesse esquema ainda não foi estabelecida.

Quem NÃO deve receber a vacina contra Meningite B?

Esta vacina não deve ser aplicada nos seguintes grupos:

  • bebês com menos de 2 meses de vida;
  • adultos com mais de 50 anos;
  • gestantes
  • pessoas que apresentaram alguma alergia ou reação intensa a algum dos componentes da vacina ou após receber a primeira dose.

A aplicação da vacina deve ser ADIADA em casos de febre aguda.

Não existem informações sobre a segurança da vacina em mulheres que estão amamentando, nesses casos os riscos devem ser avaliados pelo médico antes de proceder com a imunização.

Reações à vacina contra Meningite B – Meningococo B

As reações mais comuns são:

  • dor no local da aplicação;
  • vermelhidão no local da aplicação;
  • inchaço no local da aplicação;
  • irritabilidade;
  • febre.

As reações costumam não ultrapassar 48 horas da aplicação.

Fonte: www.ema.europa.com

Você também vai gostar de ler:

Mitos em pediatria: leite de soja, chá para cólica, tablets, vacinas e mais
Vacina contra Poliomelite – VIP(injetável) e VOP(oral)
Cuidados necessários: Crianças e bichos de estimação
Pode dar clara de ovo para bebê?

The post Vacina contra Meningite B – Meningococo B appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
https://www.almanaquedospais.com.br/vacina-contra-meningite-b-meningococo-b/feed/ 0
Devo acordar o bebê para amamentar? https://www.almanaquedospais.com.br/devo-acordar-o-bebe-para-amamentar/ https://www.almanaquedospais.com.br/devo-acordar-o-bebe-para-amamentar/#comments Thu, 01 Sep 2016 10:00:44 +0000 http://www.almanaquedospais.com.br/?p=12782 Devo acordar o bebê para amamentar? Na verdade não existe uma resposta que se encaixe em todos os casos, mas existem sinais que você deve observar para tomar essa decisão.

The post Devo acordar o bebê para amamentar? appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
Uma dúvida muito comum entre as mamães de recém-nascidos é: “Devo acordar o bebê para amamentar?”. Na verdade não existe uma resposta que se encaixe em todos os casos, mas existem sinais que você deve observar para tomar essa decisão.

devo-acordar-o-bebe-para-amamentar

Devo acordar o bebê para amamentar?

Mesmo quando o médico pediatra já orientou sobre amamentação, nem sempre lembramos de perguntar se devemos ou não acordar o bebê para amamentar, ou mesmo esta pode ser a primeira vez que isso aconteceu e você não sabe exatamente como agir.

Como não existe uma regra que pode ser adotada para todos os bebês, fique atenta aos sinais abaixo,

Sinais de alerta:

  • seu bebê nasceu prematuro?
  • seu bebê precisou ficar internado em UTI neonatal?
  • seu bebê precisou de atendimento especializado por alguma condição de saúde debilitada?
  • seu bebê possui algum problema neurológico que dificulte que ele acorde ou mesmo que chore quando está com fome?
  • seu bebê está ganhando pouco peso?

Se você respondeu NÃO para todas as perguntas acima e você está levando seu bebê à todas as consultas no pediatra e acompanha direitinho o seu desenvolvimento, incluindo ganho de peso e altura, provavelmente seu bebê não precisa ser acordado para mamar.

Caso a resposta seja SIM para alguma pergunta acima, fale imediatamente com o pediatra e peça orientações para os intervalos de mamada. E não se esqueça de perguntar a partir de quanto tempo você deve interromper o sono do pequeno.

Porquê bebês saudáveis geralmente não precisam ser acordados para mamar?

Se o seu bebê, que está ganhando peso adequadamente, está dormindo, é sinal de que ele está satisfeito e se sentindo confortável.

A interrupção do sono pode criar o hábito da mamada de madrugada mesmo após os 6 meses de idade. É como se você colocasse um alarme para beber água sempre às duas horas da manhã. Nos primeiros dias você precisará do alarme para tomar a água, porém em poucas semanas você estará habituada e acordará com muita sede, mesmo sem que o alarme toque.

Meu bebê está dormindo e acordei com dor na mama, o que fazer?

A dica é que você esvazie um pouco sua mama, somente o suficiente para aliviar o desconforto e volte à dormir assim que possível, afinal pode ser que ele acorde em poucos minutos e você vai precisar de energia para saciar a fome do seu bebê.

Se o seu bebê tem menos de 6 meses e já está dormindo cerca de 6 horas por noite, você faz parte do clube das sortudas, então sinta-se privilegiada e aproveite para descansar!

Você também vai gostar de ler:

O que você deve fazer enquanto amamenta o seu bebê
Bebê com febre: tudo o que você precisa saber
Repelentes para grávidas, bebês e crianças
Prisão de ventre em bebês, o que fazer?

The post Devo acordar o bebê para amamentar? appeared first on Almanaque dos Pais.

]]>
https://www.almanaquedospais.com.br/devo-acordar-o-bebe-para-amamentar/feed/ 1