Home / Colunistas / Dra. Silvana Chedid / O que é infertilidade?

O que é infertilidade?

A infertilidade é uma doença que impede um casal de levar uma gravidez até o fim com o nascimento de um bebê saudável depois de um ano de relações sexuais frequentes. Por isso, o momento ideal para realizar um estudo sobre a fertilidade do casal é após 12 meses de tentativas.

Insistimos na palavra “casal” porque a infertilidade não pode ser tratada isoladamente pelo homem ou pela mulher, 20% das causas de infertilidade são provocadas por razões mistas ou combinadas, e mesmo quando existe o diagnóstico de infertilidade de uma das partes, durante o tratamento é preciso que os dois estejam implicados.

Reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como doença que atinge mais de 60 milhões de pessoas na faixa dos 18 a 35 anos, a infertilidade atinge em média de 15 a 20% da população. Em idades mais avançadas (mulheres após os 37 anos) a incidência é ainda mais elevada, nestes casos recomenda-se procurar um especialista após 6 meses de relações sexuais sem conseguir a gravidez.

Infertilidade ou esterilidade?

Existe diferença entre infertilidade e esterilidade, algo que gera alguma confusão entre a população. Enquanto a esterilidade é a incapacidade de um indivíduo ou de um casal conceber, a infertilidade impede que um casal, que consegue uma gestação, leve a gravidez até o fim com um recém-nascido saudável.

Fertilidade

Ao contrário do que muitos acreditam a espécie humana não possui um alto poder reprodutivo, estimamos aproximadamente 25% de possibilidade de gravidez por ciclo. Aproximadamente 1 em cada 6 casais em idade fértil será afetado pela esterilidade. Estas porcentagens dizem respeito a mulheres menores de 35 anos; a partir dessa idade o potencial reprodutivo vai diminuindo de forma gradativa e, depois dos 40 anos, a possibilidade de gravidez por mês é inferior a 10%.

No caso dos homens a fertilidade é mantida por mais tempo, aproximadamente até os 50 anos, a partir desta idade existe um declínio da qualidade dos espermatozoides e consequentemente da fertilidade masculina.

Frequência de relações sexuais para conseguir a gravidez

Após o óvulo abandonar o ovário, ele sobrevive cerca de 48 horas, e é somente durante este período que pode ser fecundado pelos espermatozoides, cujo poder de fecundação tem uma duração máxima de 72 horas. No entanto, recomenda-se não estar obcecado com o controle da ovulação, pois a ansiedade por uma gestação é contraproducente para a mesma, e pode inclusive chegar a prejudicar o relacionamento do casal. Com uma frequência de 2 ou 3 relações sexuais por semana, a probabilidade acumulada de gravidez espontânea chega a 90% após um ano.
infertilidade

Causas da infertilidade

• 30% causas masculinas: alterações no âmbito testicular, obstrução de dutos, patologias na próstata, alterações na ejaculação ou ereção e alterações no esperma.
• 30% causas femininas: menopausa precoce, endometriose, obstruções ou lesões das trompas de Falópio, anomalias uterinas e cervicais ou problemas ovulatórios.
• 20% causas combinadas: onde os dois membros do casal são responsáveis.
• 20% causas inexplicáveis: ou seja, não foi possível identificar a causa da infertilidade.

Como detectar a infertilidade?

Os testes para determinar a infertilidade incluem um histórico clínico e um exame físico completo de ambos os membros do casal.

No caso concreto da mulher, os testes básicos são o estudo hormonal basal, a ultrassonografia e a histerossalpingografia, apesar do leque poder ampliar-se em função da paciente. Para completar o diagnóstico será necessário avaliar também, no caso do homem, a qualidade do esperma através de um espermograma.

Você também pode gostar de ler:

Congelamento de sêmen. Quando, como e onde?
Problemas nos espermatozoides – causa mais comum da infertilidade masculina
Ovário policístico e gravidez

Sobre Dra. Silvana Chedid

Dra. Silvana Chedid
Dra. Silvana Chedid (CRM 57672) é especialista em Reprodução Humana pelo Center for Reproductive Medicine da Universidade de Bruxelas (Bélgica). Por 15 anos dirigiu o CEPERH (Centro de Endoscopia Pélvica e Reprodução Humana do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo) e por 10 anos sua clínica própria, que foi incorporada ao grupo espanhol de medicina reprodutiva IVI em 2012. www.ivi.net.br

Veja também

Progesterona, hormônio essencial para a gravidez

Entenda como a progesterona, hormônio essencial para a gravidez, age no corpo da mulher antes, durante a após a gestação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.