Home / Colunistas / Dr. Marcelo Amaral Ruiz / Colesterol Alto em Crianças

Colesterol Alto em Crianças

Colesterol Alto em Crianças

Caros leitores, decidi discutir este tema, pois tenho recebido no consultório muitas crianças com níveis elevados de colesterol e isso gera muitas dúvidas nas famílias. Em primeiro lugar é bom deixar claro que a palavra “colesterol” deve ser usada com cautela, pois as dosagens habituais de colesterol englobam o colesterol total (soma de todos), o colesterol bom (HDL-colesterol) e o colesterol ruim (LDL-colesterol). Também vale lembrar que triglicérides são diferentes do colesterol.

Foto: Reprodução www.coles.com.au

Foto: Reprodução www.coles.com.au

O colesterol bom é aquele que limpa as artérias e evita a formação de placas ateromatosas, já o colesterol ruim é aquele que se deposita justamente nessas placas, entupindo as artérias e gerando risco de infartos e acidentes vasculares cerebrais, dentre outros problemas.

O caminho do colesterol no corpo humano é muito inteligente. Ele é produzido no fígado e no intestino, vai para a circulação sanguínea e outros órgãos como o coração, os músculos, os rins, o cérebro retiram esse colesterol circulante e o utilizam como forma de alimento. Portanto o colesterol é muito importante para o corpo humano, o problema está no excesso.

O acúmulo de colesterol pode acontecer por dois motivos principais:

  • o indivíduo abusar de alimentos gordurosos, não praticar exercícios físicos e viver muito estressado;
  • o indivíduo herdar da família um defeito genético-metabólico que provoca o acúmulo de colesterol. Esse indivíduo terá colesterol alto por melhor que seja a dieta e a prática de atividades físicas que tiver.

 

Pensando nisso, podemos começar a entender porque existem crianças não obesas e que tem bons hábitos alimentares e mesmo assim ainda tem colesterol alto. Tais crianças já nasceram com um defeitinho metabólico que provoca acúmulo de colesterol e esse defeitinho vai acompanhar essa criança pela vida toda.

É importante realizar dosagem de colesterol em toda criança com excesso de peso, mas também em crianças que tem muitos parentes (em especial os pais e os irmãos) com problemas de colesterol ou histórico na família de infarto do coração em pessoas jovens (homens antes dos 60 anos e mulheres antes dos 70 anos).

Também é importante salientar que os valores considerados normais para crianças são um pouco diferentes dos valores normais de adultos, por isso, em caso de dúvidas, um especialista deve sempre ser consultado.

Apesar de encontrarmos alterações de colesterol cada vez mais frequentemente em crianças e adolescentes, são raros os casos que necessitam de tratamento medicamentoso. A grande maioria dos pacientes melhoram apenas com a introdução de uma rotina mais saudável de alimentação e de exercícios.

Portanto, se seu filho está acima do peso ou se na sua família existem muitos casos de colesterol alto, vale a pena fazer alguns exames e em caso positivo, um especialista deve ser consultado. Em um próximo texto irei deixar algumas atitudes que melhoram o colesterol.

Sobre Dr. Marcelo Amaral Ruiz

Endocrinologista Pediátrico. PhD em Saúde da criança e do Adolescente pela USP. CRM-SP: 113266 e Registro de Especialista no CRM-SP 238842. Atualmente trabalha em consultório próprio em São José dos Campos. Contato: (12) 3922-0331

Veja também

Porque o dente permanente não nasce?

O dentinho de leite caiu já faz tempo e o permanente não nasce? Quanto antes procurar um dentista melhor, pois problemas podem estar causando este atraso...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.