Home / Papai / Comportamento / Talentos – Comece a libertá-los

Talentos – Comece a libertá-los

Seja sincero: você sente que usa seu talento naquilo que faz? O que você produz é fruto de seu talento? Você reconhece ou sabe quais são seus talentos?

talento

Se você deseja abrir seu próprio negócio seja porque gostaria de mudar ou porque, infelizmente, perdeu o emprego; se você está infeliz porque há anos não gosta do que faz (e quem sabe ainda continue trabalhando com a mesma coisa e na mesma empresa); se você ainda é jovem e não sabe bem que profissão escolher ou pode ser que até esteja mais velho, porém ainda se sente perdido… Eu gostaria que você refletisse sobre o que realmente significa TALENTO.

Todos esses anos trabalhando com uma das metodologias de Autoconhecimento mais reconhecidas do mundo, que é o Processo Hoffman, percebi que as pessoas têm muita dificuldade em identificar, descobrir e usar seus próprios talentos. Por isso, a importância de conversarmos sobre esse tema.

Estamos acostumados a ouvir a palavra “talento” nas mídias e, em geral, quando ela surge, é para reforçar as competências relacionadas às artes. Então, a primeira coisa a refletir é que “talento” não precisa necessariamente estar relacionado à grande exposição e nem a um dom artístico. Há pessoas que têm ciência disso, mas há também quem sinta que precisa fazer algo de grande visibilidade para dar vazão ao próprio talento. Acredite: você nasceu com pelo menos uns três talentos e provavelmente não os usa para ter sucesso, dinheiro e nem satisfação.

Para reconhecer e usar seus talentos de maneira consciente e plena é preciso você se autoconhecer. Sim, e já te explico o porquê e como iniciar este caminho.

Quer começar a investigar sobre seus talentos?

O primeiro passo é simples, de verdade, e começa por usar a memória para relembrar o que você gostava de fazer na infância. Isso mesmo, quero que você se recorde das atividades que te deixavam feliz. Você pode se surpreender! Sabia que aquelas suas brincadeiras infantis estavam repletas de talentos “escondidos” e que vieram com você para serem desenvolvidos?

Algumas pessoas têm talentos mais evidentes, mas a questão é que a grande maioria de nós “desaprendeu” ou se esqueceu dos talentos que possui. E há ainda os que negligenciaram suas capacidades inatas, isto é, não as desenvolveram, seja porque não quiseram ou porque não puderam.

Se formos aprofundar, esses entraves estão ligados ao aprendizado emocional da infância. Esta é a fase em que começamos a descobrir o mundo e é também a que fomos, muitas vezes, repreendidos de forma repetitiva ou controlados excessivamente por nossos pais ou cuidadores. A intenção, claro, pode ter sido para o nosso bem e até mesmo para evitar algum perigo físico, porém, em diversas situações, aquele tipo de comportamento ou atividade infantil que nos levou a tomar uma bela bronca poderia revelar nossos talentos em potencial.

Quando crianças, em nosso pequenino cérebro, essas advertências sem explicações – ou seja, os “nãos” que não compreendíamos, porque simplesmente não tínhamos ainda maturidade para tal – foram interpretados como se estivéssemos fazendo algo muito, mas muito ruim. Algo que nossos pais desaprovavam, mas que não sabíamos o porquê.

Nossa percepção emocional na infância é a de que, se fizermos aquilo outra vez, seremos advertidos ou não seremos amados. É aí então que começamos a abandonar nossos talentos e crescemos cheios de medo, de vergonha, de insegurança, de autocrítica e de sentimentos que nos impedem de acessar aqueles talentos mais legais. É como se estivéssemos cheios de “freios” em alguns talentos, e o resultado é que vamos nos desencorajando.

Se você estiver vivendo um momento de incertezas quanto às suas capacidades e habilidades, quanto à sua profissão, pare um pouco, tire um tempo para recordar seus talentos infantis, aquilo que te dava prazer.

Esse acesso à lembrança é fundamental para você começar a se livrar dos freios que por anos te deixaram preso. Tenho certeza que, ao fazer isso, muitas decisões ficarão bem mais fáceis e o medo de errar, de não dar certo e a autocrítica darão espaço ao seu desenvolvimento.

Espero ter lhe ajudado com essa reflexão e que você possa começar a dar novos passos em sua caminhada de talentos!!

Você também vai gostar de ler:

Vida sem propósito não é vida; é apenas uma palavra
Comunicação – O que foi feito para nos aproximar, não deveria nos separar
Você tem um tempinho (pra falar sobre os seus filhos)?

Sobre Heloisa Capelas

Heloisa Capelas
Especialista em desenvolvimento humano e diretora do Centro Hoffman, no Brasil. Heloísa é também palestrante, Coach, Master Practitioner em PNL, autora do best-seller "O Mapa da Felicidade" e coautora de mais sete livros sobre Gestão de Pessoas, Liderança e Inteligência Feminina.

Veja também

Regras para visitar bebê recém-nascido e dicas de presentes

A vontade de conhecer o mais novo membro da família, ou o filho daquele grande …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.