Home / Papai / Comportamento / Filhos em férias e pais trabalhando

Filhos em férias e pais trabalhando

A situação dos filhos em férias e pais trabalhando acontece em quase todas as famílias, sejam nas férias de fim de ano ou nas férias de julho. Para algumas famílias os recessos escolares se transformam em um grande problema quando não há verba para contratar um curso ou acampamento de férias, babá ou mesmo quando parentes e amigos não podem ajudar a cuidar das crianças para que os pais possam trabalhar.

Crianças em idade escolar têm em média 3 meses de férias por ano, enquanto os pais saem de férias somente 30 dias. E as férias de fim de ano duram por pelo menos 7 semanas, tornando impossível a presença dos pais que trabalham durante todo o período.

Nesses casos geralmente um dos pais acaba saindo de férias ou, quando o emprego é flexível, solicita um período em home office para que os filhos não fiquem o tempo todo em frente à TV e, consequentemente, entediados.

Filhos em férias e eu trabalhando em casa

Foto: Reprodução www.nottinghampost.com
Foto: Reprodução www.nottinghampost.com

No meu caso, que trabalho em casa, as férias escolares me deixam bastante tensa, sei que perderei minhas manhãs tranquilas e silenciosas, que me permitem concentrar e produzir a toda velocidade. Por outro lado não gosto muito da ideia de cursos e acampamentos de férias, acho importante que as crianças saiam de férias, quero que tenham a mesma sensação que eu tive durante minha vida escolar: sentir toda aquela felicidade por entrar em férias e não precisar sair cedo de casa, para depois sentir toda aquela felicidade no retorno para a escola, que saudade da escola e que delícia reencontrar os amigos!

Mas o mais difícil é encontrar o equilíbrio entre o meu trabalho que não pode ser abandonado ou deixado para depois, com o entretenimento das crianças. Por mais que televisão, videogame e brinquedos novos que o Papai Noel trará possam entreter as crianças, nada disso dura por muito tempo, eles precisam de atividades novas, queimar energia, correr, sair de casa, ver o mundo… e, então, o que fazer?

Nas férias de julho deixei as coisas acontecerem naturalmente e não deu muito certo, as crianças se entediaram e eu fiquei perdidinha me dividindo entre computador e filhos pedido pela minha atenção (muitas vezes brigando entre ele porque sabem que assim eu paro tudo para separar) durante o dia todo. Então desta vez tentarei algo mais organizado:

Agenda da manhã:

Quero continuar minha rotina de produzir ao máximo pela manhã, e como tenho a Iris para me ajudar em casa e com as crianças, vou tentar manter uma programação caseira e mais tranquila:

  • Filmes infantis – nas primeiras horas da manhã eles estão mais tranquilos, então desenhos e brinquedos conseguem entretê-los por algum tempo.
  • Atividades para colorir, ligar pontos, encontrar pares entre outros próprios para crianças entre 2 e 4 anos. Para quem não tem como imprimir atividades que encontramos na Internet, o Almanaque de férias da Turma da Mônica é uma ótima opção.
  • Quebra-cabeças
  • Arrumar brinquedos para estimular brincadeiras mais duradouras:
    Para Lucas: montar mini cidades com caixas de sapato simulando ruas, estacionamentos, oficinas, postos de combustível….
    Para Larissa: desenhar em uma caixa de papelão um fogão para preparar comidinha para as bonecas. Os ingredientes serão: folhas, pedrinhas, recortes de revista…

Agenda da tarde:

Durante a tarde vou me dedicar mais às crianças para que não fiquem entediadas:

  • Lucas continuará frequentando as aulas de natação, porém aumentei de 2 para 3 dias por semana. Durante as férias levarei a Larissa comigo para assistir a aula e brincar na brinquedoteca da escola de natação
  • Compras no supermercado: como vou semanalmente comprar frutas e verduras, cada semana levarei um comigo, enquanto o outro fica com a Iris em casa (já levei os dois e não foi uma experiência muito bacana, prefiro não repetir tão cedo)
  • Cartinha para o Papai Noel. Deixei para as férias a cartinha do Papai Noel, uma atividade gostosa para eles desenharem colarem e se divertirem caprichando na cartinha para o Bom Velhinho. Se der certo vou propor que escrevam uma carta por semana, mas dessa vez para parentes e amiguinhos.
  • Receber amiguinhos em casa: Já estou combinando com outras mamães para receber amiguinhos em casa, provavelmente um por vez para que mais dias das férias sejam preenchidos.
  • Cuidar do jardim: Molhar minha hortinha e as plantinhas com o regador, mostrar para a mamãe qual galho precisa ser podado, procurar por insetos, observar se alguma flor nasceu… enfim, aproveitar o meu pequeno jardim para atividades externas e que despertem cuidados com as plantas.
  • Culinária: Preparar algumas receitas com as crianças (aqui no Almanaque dos pais você encontra na sessão Pequenos Chefs todos os tipos de receitas e com dicas de como as crianças podem ajudar)

Passeios culturais

Quero aproveitar as férias das crianças para levá-los a museus, parques, teatro e cinema, mas ainda sou receosa quanto a sair com os meus dois filhos sozinha, prefiro organizar esses programas nos finais de semana com o maridão.

Na hora do aperto, peça por ajuda

Se os pais realmente não têm como ficar em casa com as crianças, mandar para acampamento ou curso, o jeito é pedir por ajuda. Fale com parentes (quando os avós já estão com idade avançada, o ideal é pagar para alguma babá ou diarista ajudá-los), amigos, vizinhos, ou mesmo com mães de amiguinhos.

ferias

Rodízio na casa dos amigos

O rodízio de casas funciona da seguinte maneira e deve ser organizado junto com as outras famílias.

Na primeira semana seu filho receberá os amiguinhos. Se forem muitos amiguinhos, divida o grupo para receber amigos todos os dias da semana (mesmo que recebe o mesmo amigo mais de uma vez). As mamães dos amigos não devem ficar em sua casa, a intenção é que elas tenham o tempo livre para trabalhar, resolver problemas ou até mesmo descansar.

Nas próximas semanas seu filho também será recebido pelos amiguinhos e você terá o dia ou a tarde livre para trabalhar.

Sobre Monica Romeiro

Monica Romeiro
Monica Romeiro é mamãe babona e apaixonada do Lucas - nascido em janeiro de 2011 - e da Larissa - nascida em julho de 2012 -, casada, publicitária por formação e empreendedora na Internet por paixão – paixão por criar, ler, escrever, pesquisar, colaborar, navegar, ajudar e compartilhar suas experiências. Escreve (sem papas na língua) sobre maternidade e dá dicas sobre empreendedorismo.

Veja também

Lei da cadeirinha para carro em Orlando e em toda Flórida EUA

Confira as regras e a lei da cadeirinha para carro em Orlando para crianças de 0 a 6 anos ou até 1,45m de altura e as regras da cadeirinha para Uber e Taxi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.