Home / Mamãe / Comportamento / Quero doar óvulos – Nova norma para doação de óvulo

Quero doar óvulos – Nova norma para doação de óvulo

A infertilidade têm solução em 90% dos casos, mas muitas vezes a solução passa por um tratamento de reprodução humana com óvulos de doadora.  Apesar do óvulo ser “apenas” uma célula, esta célula tem a capacidade de dar origem a uma vida quando fecundada e por isso, a decisão de receber e de doar óvulos é difícil para muitos.  Se você é jovem e quer doar óvulos, parabéns! Essa é uma decisão valente que requer altruísmo e vai dar a oportunidade de uma família ser feliz. No entanto,  a atualização da norma do Conselho Federal de Medicina para os tratamentos de Reprodução Humana Assistida determinou recentemente que somente mulheres que estejam realizando tratamento de reprodução humana podem ser candidatas à doação de óvulos, as que optarem por doar, poderão ter parte do seu tratamento pago pela receptora de óvulos.

O tratamento de fertilidade com óvulo de doadora é bastante comum e representa atualmente quase um terço dos tratamentos realizados nas clínicas do grupo IVI. Este cenário motivou a intensificação de campanhas de preservação da fertilidade, visando diminuir no futuro estes tipos de tratamento.  No entanto, para os casos atuais, muitas vezes é preciso contar com óvulos de doadoras.

doar-ovulos

O que fazer se quero doar óvulos?

Doar óvulos é um processo que não começa e termina no mesmo dia como é a doação de sangue ou mesmo a doação de sêmen. A doadora de óvulos, além de passar por um filtro de idade e por uma avaliação rigorosa de sua saúde, precisa aplicar uma medicação por um período em torno de 10 dias, visitando a clínica para o acompanhamento de ultrassonografia e finalmente fazendo a captação dos seus óvulos.

Requisitos para ser doadora de óvulos:

– Estar realizando tratamento de reprodução humana assistida

– Ter entre 18 e 34 anos

– Ter a disponibilidade de deslocar-se regularmente à clínica onde fará a doação de óvulos

– Ser saudável e não ser portadora de doenças sexualmente transmissíveis ou genéticas

Candidatas a doar óvulos serão normalmente mulheres jovens que estão em tratamento por um fator de infertilidade masculino ou por relação homossexual ou ainda, qualquer fator não relacionado com a saúde de sua reserva ovariana.

Perguntas frequentes sobre a doação de óvulos:

– Quanto tempo dura o processo de doação de óvulos?

Em torno de 12 dias a partir da confirmação da saúde da doadora

– Se doo óvulos estou gastando óvulos que podem fazer falta para mim?

Não.  A cada ciclo a mulher perde dezenas de óvulos que nunca chegam a completar seu desenvolvimento, pois o ovário acaba liberando somente um óvulo a cada ciclo e descartando os restantes. Com a medicação, estimulamos o desenvolvimento de vários óvulos que de outra forma seriam descartados pelo corpo e induzimos seu amadurecimento através medicamentos.

– Posso manter relações sexuais durante o processo de doação de óvulos?

Durante a estimulação dos ovários até a nova menstruação, depois da punção folicular, não é aconselhável manter relações sexuais, tanto pelo risco de gestação múltipla, como pelo risco de torção dos ovários.

– Recebo dinheiro por doar óvulos?

Não. A compensação econômica para a doação de óvulos está proibida no Brasil. A redução dos custos de seu próprio pagamento é a única forma de receber um benefício econômico.

– Quais são os riscos de doar óvulos?

Praticamente nenhum. O processo costuma ser bem tolerado e só excepcionalmente comporta algum risco, como a síndrome da hiperestimulação dos ovários, que consiste numa resposta exagerada ao tratamento, algo que pode ser controlado a partir da dosagem do medicamento. Outros riscos também descritos, como a infecção, o hemoperitoneu ou a torção dos ovários, raramente ocorrem. De qualquer forma, o tratamento é personalizado e a doadora é acompanhada periodicamente para evitar qualquer risco. Durante o tratamento a mulher pode sentir um inchaço semelhante ao do período menstrual, porém o tratamento não engorda e tão pouco produz acne.

Se você quer ser doadora também pode interessar saber que uma pesquisa do IVI publicada na revista científica Development rompe paradigmas ao comprovar que gestante modifica genética do embrião mesmo quando gerado a partir de óvulo de doadora.

Sobre Dra. Silvana Chedid

Dra. Silvana Chedid
Dra. Silvana Chedid (CRM 57672) é especialista em Reprodução Humana pelo Center for Reproductive Medicine da Universidade de Bruxelas (Bélgica). Por 15 anos dirigiu o CEPERH (Centro de Endoscopia Pélvica e Reprodução Humana do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo) e por 10 anos sua clínica própria, que foi incorporada ao grupo espanhol de medicina reprodutiva IVI em 2012. www.ivi.net.br

Veja também

SOP: Síndrome dos Ovários Policísticos e Gravidez

Mulheres com a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) podem apresentar dificuldade de ovulação e atrasos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.