Home / Mamãe / Comportamento / O que avaliar na hora de decidir a melhor raça de cachorro para crianças

O que avaliar na hora de decidir a melhor raça de cachorro para crianças

Em meu texto anterior falei sobre pontos que devem ser avaliados antes de decidir ter um animal de estimação (clique aqui para ler). Se você já avaliou todos os prós e contras e sua escolha foi, como a minha, por um cachorrinho, confira as dicas que organizei sobre o que avaliar na hora de decidir a melhor raça de cachorro para crianças e que se encaixava em nosso estilo de vida.

Foto: Reprodução www.sheknows.com
Foto: Reprodução www.sheknows.com

Escolhendo a melhor raça de cachorro para crianças

Se você está confiante de que está na hora de ter um cachorro como animal de estimação, chegou a hora de escolher a melhor raça para conviver com sua família. A boa notícia é que existem muitas raças incríveis e certamente alguma vai se encaixar perfeitamente em seu estilo e trazer muitas alegrias para a família.

Não conheço sobre todas as raças, mas posso compartilhar algumas dicas que achei fundamentais para que minha escolha tenha sido a melhor para minha família e nosso estilo de vida:

Os históricos da raça ajudam a selecionar alguns comportamentos que você pode considerar bom ou ruim para sua família. Algumas raças são mais recomendadas para as crianças do que outras. É importante que você converse com pessoas que possuem cães de estimação e veterinários para ter mais orientações a respeito do que pode vir a ser o novo membro da sua família.

Entre as raças de cachorro mais indicadas para as crianças estão:

  • Shi-tzu
  • Golden Retriever
  • Labrador Retriever
  • Pug
  • Buldogue Inglês
  • Buldogue Francês (por ser mais bruto, é perfeito para crianças maiores e agitadas)
  • Beagle
  • Collie
  • Poddle
  • SRD (Sem Raça Definida, mais conhecida como Vira-lata)

*As raças foram escritas em ordem aleatória, ou seja, não existe “a mais indicada”, mas sim diversas raças consideradas boas para crianças. Outras raças não citadas na lista também podem ser incríveis para as crianças, por isso deve ser avaliado não só o pedigree ou a falta dele, mas sim o temperamento e criação do cão.

Avalie o temperamento do cão

As raças possuem características de comportamento que ajudam na decisão, mas avaliar o temperamento do cãozinho é fundamental para que sua escolha seja ainda mais assertiva.

O ideal para os pequenos, são cachorros dóceis, tranquilos e que tenham sido criados com crianças (no caso de adoção de cães adultos). Nos casos de cães adultos, observe se ele se mostra calmo e alegre a presença de crianças. Ao notar que ele está demasiado agitado, olhando para os lados para urinar, ou mesmo passando muito a língua nos lábios, pode ser sinal de estresse.

Se você está procurando uma cão de raça para crianças por volta dos 4 anos, então o seu cão precisa ser muito dócil e paciente para aguentar as brincadeiras e até puxões desajeitados das crianças. Neste caso os campeões da paciência são o Golden Retriever e o Shi-tzu, que aturam as brincadeiras e, quando acontece um puxão mais dolorido, não possuem histórico de responder com agressão. Mas é de extrema importância que você nunca deixe seus filhos brincando sozinhos com os animais, a supervisão de um adulto é essencial para que todos aprendam a conviver e respeitar um ao outro.

O Yorkshire também é uma raça excelente para crianças, porém como é muito sensível e se machuca com facilidade, pode não ser uma boa escolha caso seus filhos sejam pequenos e agitados. Uma pequena queda do colo da criança pode fraturar o cãozinho filhote.

Outra raça que é muito elogiada pelo seu comportamento com crianças é o Buldogue.

Não deixe o cão sozinho com as crianças

É importante que o convívio com o cãozinho e seus filhos seja supervisionado para segurança de ambos. Assim você poderá observar se o cão é paciente e gentil com as crianças, ao mesmo tempo que ensina a seus filhos a respeitarem o cãozinho em seus momentos de descanso, alimentação, higiene e cuidados.

Crianças podem deixar o cão cair do colo, colocar a mão nos olhos, puxar rabo, segurar pata, entre outros atos que podem deixar o cão irritado. Estar por perto da ensinar seu filho o que pode e o que não pode é essencial para o bem estar de todos, afinal o animal de estimação é uma vida e não um brinquedo.

Onde o bichinho vai ficar

Cada raça possui sua particularidade e, entre elas, há as mais indicadas para ficar no quintal, dentro de casa, as que exigem mais espaço, outras que são perfeitas para apartamentos, enfim, saber onde seu animalzinho vai ficar é fundamental para a escolha da raça.

Se você não tem espaço e não curte a ideia de conviver com um cãozinho colado em seu pé enquanto assiste TV, é melhor pensar em outras opções como hamster ou peixes que podem ficar em somente um canto da sua casa.

Hábitos da família

Uma família que gosta de parques, esportes e é muito agitada, pode pensar em cães que acompanhem – e adoram – esse ritmo, tais como Labrador e Beagle, que são muito brincalhões e agitados.

Já se sua família é mais caseira, a dica é pesquisar por cães que não necessitam de tanto exercício, como Shi-tzu, Pug ou Yorkshire.

 

Porte do cachorro

Sou fã dos cães de grande porte e meu sonho sempre foi um Golden Retrievier, mas como moro em uma casa com quintal pequeno, achamos melhor acatar aos pedidos do meu filho e procurar por um “cachorro pequeno”. Avalie o seu espaço e as necessidades do cão para decidir o melhor porte do seu animal de estimação.

Pelos, latidos, babas, brinquedos e comidas espalhadas pela casa

Adotar um cachorro também significar lidar com outros aspectos: pelos pela casa, latidos quando alguém toca a campainha, aquele rastro de babas após o cão beber água, brinquedos jogados pelo quintal e comida espalhada em torno do comedouro.

Se alguns desses fatores incomodam vocês, a boa notícia é que algumas raças não possuem alguns ou vários desses probleminhas.

O Shi-tzu, por exemplo, é uma raça que deve ser mantido dentro de casa, mas praticamente não solta pelos, quase não late, se beber água nos bebedores de bilha, não há pingos pela casa e seu cavanhaque se mantém seco, porém os brinquedos espalhados e comidas derrubadas em torno do comedouro são uma realidade. Como fica em casa, é recomendado banhos semanais e tosa mensal ou bimestral para que as crianças possam brincar a valer sem que os pelos do bichinho fiquem cheios de nós.

Adoção é sempre uma ótima alternativa

Nosso país conta com um número enorme de animais abandonados ou que foram maltratados por seus antigos donos e estão aguardando um novo lar. Os cachorros encontrados em abrigos passam por avaliação veterinária e comportamental, tudo isso para certificar que estão prontos para receber e retribuir todo amor e carinho de uma nova família.

Se você não faz questão de um animal de raça – apesar de que animais de raça também são encontrados em abrigos após serem abandonados por seus antigos donos – pense com carinho sobre adotar um cãozinho.

Família que passa pouco tempo em casa

Muitos cães sofrem por ficarem sozinhos durante um longo período. Para famílias que não ficam muito em casa a dica é procurar por um gato, que são mais bem resolvidos, já que os cães precisam de mais atenção e carinho.

Posse responsável

Pense muito bem antes de decidir por um animal de estimação. O número de pessoas que abandonam seu bichinho é muito grande, especialmente no período de férias em que a família deseja viajar e acaba abandonando seu animalzinho para ter mais liberdade em seus passeios.

Sobre Monica Romeiro

Monica Romeiro
Monica Romeiro é mamãe babona e apaixonada do Lucas - nascido em janeiro de 2011 - e da Larissa - nascida em julho de 2012 -, casada, publicitária por formação e empreendedora na Internet por paixão – paixão por criar, ler, escrever, pesquisar, colaborar, navegar, ajudar e compartilhar suas experiências. Escreve (sem papas na língua) sobre maternidade e dá dicas sobre empreendedorismo.

Veja também

Direitos Educacionais dos alunos com QI abaixo de 90 | Deficiência Intelectual Leve

Direitos Educacionais dos alunos com QI abaixo de 90 – deficiência intelectual leve. Direito ao …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.