Home / Colunistas / Dr. Alberto Guimarães / Parto de lótus mantém o bebê ligado à placenta após o nascimento

Parto de lótus mantém o bebê ligado à placenta após o nascimento

Parto de lótus mantém o bebê ligado à placenta após o nascimento

O parto de lótus é um procedimento no qual, após o nascimento, o neném se mantém ligado à placenta pelo cordão umbilical até que haja descolamento ou queda natural. Algumas gestantes adotam este método por acreditarem em benefícios espirituais ao bebê.

parto de lotus

Foto: Reprodução www.dokterdigital.com

Sem dúvidas que esta espera de ligadura tardia do cordão é muito importante e traz inúmeras vantagens para o bebê: o sangue continuará levando oxigênio, ferro, nutrientes e hormônios para o neném e, por isso, não há motivos para se fazer o seu corte tão rapidamente. A equipe médica pode esperar a parada da pulsação para realizar o corte do cordão e consequente separação do bebê e a placenta.

A escolha por este tipo de parto deve ser de comum acordo entre a gestante e o seu médico. Se a mulher demonstrar este desejo, isso deve ser respeitado. Mas, ao mesmo tempo, é importante que o médico esclareça sobre os riscos de ocorrer uma putrefação deste órgão, o que pode atrair insetos e causar uma séria contaminação, inclusive para o bebê. Se mesmo assim a grávida optar pelo parto de lótus, a gestante deve ser orientada sobre os cuidados de higiene como, por exemplo, uso de sal grosso e flores, para evitar que o órgão apodreça, exale odores desagradáveis e cause infecções graves.

parto de lotus

Foto: Reprodução Pinterest

O parto de lótus não é uma prática defendida pelos médicos de maneira geral e está longe de ser incorporada no dia a dia da assistência. Atualmente, no Brasil, ainda é difícil demonstrar para as mulheres e para a maioria dos médicos a importância de um parto normal humanizado, imagina convencer a gestante a deixar a placenta colada ao bebê e levar este órgão para casa?

Só o fato de estimularmos a realização do parto humanizado, defendendo os princípios básicos da necessidade da mulher no trabalho de parto, promover o contato pele a pele da mãe com o bebê no pós-parto, estimular o aleitamento na primeira hora e a participação do marido na assistência do parto, todas estas medidas já contribuem para que a gestante tenha uma experiência única do nascimento, sem a necessidade de correr riscos como no parto de lótus.

Você também vai gostar de ler:

Doula: Qual o seu papel e a sua importância para a gestante03
A comunicação e o respeito humano evitam a violência obstétrica
Como evitar a otite média durante a amamentação de seu filho
Amamentar: nem tão difícil quanto se espera nem tão fácil quanto parece

 

Sobre Dr. Alberto Guimarães

Dr. Alberto Guimarães
Dr. Alberto Guimarães é ginecologista, obstetra e idealizador do projeto “Parto sem Medo”. Formado pela Faculdade de Medicina de Teresópolis e mestre pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), atualmente exerce o cargo de gerente médico para humanização do parto e nascimento do Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João Amorim, CEJAM, em maternidades municipais de São Paulo para o Programa Parto Seguro à Mãe Paulistana. Contato: (11) 3672-7006.

Veja também

Dor no pé da barriga na gravidez

A dor no pé da barriga na gravidez é causada principalmente pelo estiramento dos músculos da barriga, ligamentos mais relaxados, mudança postural e peso da barriga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.