Home / Papai / Comportamento / Nunca ofereça alimentos para outras crianças, elas podem ter restrições alimentares

Nunca ofereça alimentos para outras crianças, elas podem ter restrições alimentares

Enquanto seu filho se delicia com uma bolacha recheada, você nota uma criança observando e lançando um olhar de “também quero” e sua primeira reação é oferecer uma bolacha para alegrar o olhar da criança, certo?

ERRADO! Nunca ofereça alimentos para outras crianças, elas podem ter restrições alimentares devido a alergias ou até mesmo diabetes. Procure pelos pais ou responsáveis e pergunte a eles se pode oferecer a bolacha, suco ou qualquer outro alimento para a criança.

Os problemas que um alimento errado pode causar na criança.

reacao alergica (425x600)
Criança com reação alérgica

Uma criança com alergia alimentar, ou hipersensibilidade alimentar, pode apresentar minutos após a ingestão, desde reações cutâneas leves, até queda da pressão arterial ou bloqueio das vias respiratórias. Outras reações que uma criança com alergia alimentar pode apresentar são: dores abdominais, disenteria, vômitos, falta de ar, desmaios, dificuldade para deglutir, manchas com escamações, descamações e bolhas na pele, inchaço especialmente no rosto (lábio, língua e pálpebras).

Existe um tipo de alergia alimentar classificada como “IgE mediada”, em que os sintomas aparecem poucos minutos após a ingestão e a criança pode sofrer um choque anafilático, ou seja, um quadro rápido de queda da pressão arterial, prejudicando a irrigação de seus órgãos e, muitas vezes, correndo grave risco de morte se não for rapidamente atendida.

Crianças com diabetes possuem uma dieta organizada para que a insulina seja ajustada de acordo com suas necessidades do dia. Desconhecer que o filho consumiu um doce a mais pode ser prejudicial para a saúde da criança.

Como agir quando oferecem alimento ao meu filho

Quando é o seu filho quem observa outra criança comendo, mesmo que ele não tenha nenhuma restrição alimentar, certamente você se sentirá desconfortável vendo outra pessoa lhe oferendo comida sem o seu consentimento. O desconforto pode surgir por não saber a procedência do alimento, por estar em desacordo com a rotina alimentar de seu filho, ou mesmo por ser uma indelicadeza não terem lhe consultado, afinal seu filho segue suas regras e não tem idade ou maturidade para escolher seus próprios alimentos.

A dica é estar sempre atento ao seu filho e, ao notar que ele observa outra criança comendo uma guloseima não é necessário mudar o foco, pelo contrário, converse com ele sobre o alimento, explique o que é e, se possível, combinem um dia para comerem juntos ou explique porque ele não poderá comer aquele alimento. Aproveite a oportunidade para ensinar seu filho a agradecer no caso de alguém lhe oferecer uma guloseima, mas que ele deve sempre falar com o papai e mamãe se quiser experimentar.

Quando abordarem seu filho com alguma guloseima ou mesmo se lhe perguntarem se pode dar o alimento ao seu filho, não há problema algum em se sentir desconfortável. Agradeça a gentileza e avise que não pode aceitar seja porque seu filho tem o seu próprio lanchinho, ou por possuir restrições alimentares.

Oriente para que seu filho nunca aceite nada de estranhos

É importante orientar seu filho para que nunca aceite objetos e alimentos, inclusive aquele pirulito colorido e delicioso, de pessoas estranhas. Oferecer guloseimas é uma das formas que pessoas mal intencionadas usam para se aproximar de crianças.

Eduque seu filho para chamar por você ou por outro adulto que ele conheça quando for abordado por outra pessoa, porém crianças pequenas tendem a ser mais inocentes e mesmo sendo orientados a chamar os papais não vão querer ficar sem o docinho, então papai e mamãe, estejam sempre atentos.

Importante:

Se notar que uma criança ficou com vontade de comer aquele biscoitinho que seu filho está segurando, antes de oferecer pergunte aos pais ou responsável.

Entenda a diferença entre intoxicação, intolerância e alergia:

A intoxicação, intolerância e a alergia alimentar são comumente confundidas por terem muitos sintomas em comum, porém suas causas são completamente diferentes.

Estima-se que entre 6 a 8% das crianças menores de 5 anos possuam algum tipo real de alergia alimentar, embora cerca de 25% reportem esse quadro.

Intoxicação alimentar quando ingerimos alimentos contaminados por micro-organismos ou produtos químicos tóxicos, passamos por uma intoxicação.
Intolerância alimentar nesse caso, o organismo é incapaz de metabolizar o alimento, seja pela falta ou pela deficiência de algumas enzimas que digerem nossa comida. A intolerância pode ser congênita ou adquirida.
Alergia alimentar aqui o nosso sistema imunológico se volta contra alguma substância presente no alimento, causando uma resposta que pode variar de grau de intensidade. As alergias podem apresentar sintomas leves – como uma vermelhidão na pele– ou outros mais graves, como o edema de glote, que pode ser fatal.

*Fonte da tabela: http://www.einstein.br

 

Artigo sugerido por Danielle Alvissus, mãe de Luca de 2 anos que possui alergia alimentar. Danielle precisa lidar constantemente com pessoas oferecendo alimentos a seu filho.

Sobre Almanaque dos pais

Conteúdo produzido pela equipe do Almanaque dos pais.

Veja também

Insegurança, como você lida com ela?

Insegurança, como você lida com ela? É tempo de reconhecer e mudar Insegurança… Sentimento de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.