Home / Mamãe / Comportamento / O que avaliar antes de ter um animal de estimação

O que avaliar antes de ter um animal de estimação

Nossos filhos estão com 5 e 3 anos e meio, após muita conversa entre eu e o Flavio e até com o pediatra das crianças que é super a favor de que crianças convivam com animais de estimação a partir dos 4 anos de idadefase em que possuem mais maturidade para lidar com as regras e cuidados com o bichinho -, decidimos que estava na hora de aumentar a família e adotar/comprar um cãozinho. Após muito pensar, conversar e pesquisar, decidi escrever esse post para ajudar papais e mamães antes de tomarem uma decisão final sobre ter um animal de estimação.

Foto: Reprodução www.poshpetcare.com
Foto: Reprodução www.poshpetcare.com

O que avaliar antes de ter um animal de estimação

O Lucas nos pede por um “cachorrinho pequeno” há bastante tempo, mas sei bem que ter um cachorro não é para qualquer pessoa ou estilo de vida. Tive cachorros durante toda minha infância até meus 28 anos, adoro animais de estimação e conheço bem a responsabilidade que envolve ter um cãozinho em casa. Por esta razão que reforço a importância de analisar todos os aspectos antes de sair atrás de um animalzinho.

Já é sabida e muito divulgada a importância e benefícios da criança conviver com animais de estimação na infância, como diminuição de riscos de desenvolver asma, melhora na imunidade (incluindo diminuição de incidências de gripes, resfriados, dores de cabeça, entre outros problemas de saúde, conforme estudos do Departamento de Psicologia Experimental da Universidade de São Paulo), exceto em casos de crianças que possuem alergia a cães e gatos, nesses casos o convívio não é indicado.

Mas agora vou citar alguns aspectos que podem sinalizar que você está – ou não –  preparado para ter um animal de estimação.

Alguns pontos para pensar antes de decidir adotar/comprar um animal de estimação

– Animal de estimação não é brinquedo! Ele precisa de cuidados, carinho e atenção constantes, ou seja, não existe essa de enjoar e deixar de lado, então pense com bastante carinho;

Filhotes de cães e gatos são encantadores, mas podem arranhar móveis, destruir chinelos e sofás, além de fazer xixi e cocô por toda a casa até que aprendam o lugar correto. Vale ressaltar que eles não serão filhotes para sempre. Para quem não quer arriscar com o comportamento dos filhotes, a adoção de animais adultos é uma excelente alternativa;

– Você e sua família estão prontos para assumir uma responsabilidade que vai durar entre 10 e 18 anos? Esta é a expectativa de vida de um cachorro. Avalie o tempo médio de vida do animal de estimação que você deseja e se você está disposto a encarar essa responsabilidade por tanto tempo antes de tomar qualquer decisão;

– Animal de estimação requer cuidados, você pode assumir as despesas com alimentação adequada, medicação e veterinário? Além das despesas mensais você precisará investir em um “enxoval” para a aquisição, como gaiolas para aves ou hamsters, casinha ou caminha para cães e gatos, aquários….;

– Por mais que seus filhos se comprometam a ajudar com os cuidados, eles ainda são crianças e cabe aos adultos essa responsabilidade, você está pronto para assumir os cuidados com o animal como alimentar, limpar fezes e xixi, dar banho, escovar, passear, levar ao veterinário…? Claro que as crianças podem (e devem) ajudar, mas sempre com orientação e supervisão dos adultos;

– O lugar que você reside permite animais de estimação? Alguns condomínios possuem restrições quanto a alguns animais e/ou raças, vale a pena se informar antes de tomar uma decisão;

– Se você costuma de viajar, quem poderá cuidar do animal na sua ausência? Pode ser um parente, amigo, vizinho ou se dinheiro não é o problema, você pode contratar os serviços de um hotel para animal de estimação (alguns petshops realizam esse serviço). Outra opção é a de levar o animal de estimação com você, porém alguns hotéis e cias aéreas possuem restrições.

Decidi que não quero um animal de estimação, como explicar isso para meu filho?

Se após avaliar todos esses aspectos – e muitos outros que surgem durante o percurso – e resolveu que não é o momento para ter um animal de estimação, não se sinta culpado. É muito mais saudável para todos reconhecer que não se deve ter um animal de estimação do que se arrepender e abandonar o bichinho.

Explicar essa decisão para seu filho pode não ser muito fácil, causar choros e até fazer com que você reconsidere sua decisão. O indicado é que você explique para a criança toda a responsabilidade que envolve um bichinho, e que vocês não estão preparados nesse momento. Se possível explique com situações reais da sua família, como uma viagem que fizeram e que não seria possível se vocês já tivessem o animalzinho.

Somente se você estiver disposto a ter um animal de estimação no futuro, prometa que em um momento mais adequado vocês poderão ter um animal de estimação.

Sobre Monica Romeiro

Monica Romeiro
Monica Romeiro é mamãe babona e apaixonada do Lucas - nascido em janeiro de 2011 - e da Larissa - nascida em julho de 2012 -, casada, publicitária por formação e empreendedora na Internet por paixão – paixão por criar, ler, escrever, pesquisar, colaborar, navegar, ajudar e compartilhar suas experiências. Escreve (sem papas na língua) sobre maternidade e dá dicas sobre empreendedorismo.

Veja também

Posso me depilar durante a gravidez?

Sim, a mulher pode se depilar durante a gravidez, porém nem todos os métodos são seguros e vou falar de cada um deles para você não ficar com nenhuma dúvida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.