Home / Colunistas / Dra. Taila Billa / O uso da chupeta e suas consequências

O uso da chupeta e suas consequências

A sucção é uma necessidade fisiológica e está relacionada ao crescimento e desenvolvimento psíquico do bebê.
Realizar a sucção do peito durante a amamentação satisfaz essa necessidade, mas quando o peito está cheio de leite, o bebê mama sem esforço e mata a fome, mas não a necessidade de sugar, o que deixa a criança irritada. Nestes casos, o ideal é retirar um pouco do leite para o bebê tenha que se esforçar mais, saciando essa vontade de sugar. Mas o que ocorre é que nestas horas os pais oferecem a chupeta que, como num passe de mágica, acalma os baixinhos.

Se a chupeta tem esse “poder calmante” para pais e filhos, por que seu uso é criticado?

Muitas pessoas não sabem, mas existem efeitos colaterais advindos do uso da chupeta, que interferem no desenvolvimento infantil.

chupeta azul (570x428)

– Interferência na amamentação:

A sucção do peito é diferente da chupeta e quando a oferecemos muito cedo ao bebê, o desmame é precoce, pois a posição da língua durante a amamentação é diferente de quando suga a chupeta, e por ser mais fácil, o bebê na hora da amamentação usará esta posição e não conseguirá retirar o leite, ficando irritado, com fome e sede, rejeitando o peito da mãe.
O leite materno contém nutrientes necessários para o desenvolvimento do seu filho e ajuda na formação do seu sistema de defesa. Sem ele, existe uma baixa na imunidade, predispondo o bebê a doenças (respiratórias, alérgicas, etc.).
Não oferecer bicos artificiais e chupetas a crianças amamentadas é um dos Dez passos para o Sucesso do Aleitamento Materno recomendado pela Organização Mundial de Saúde, UNICEF e Ministério da Saúde.

– Interferência na fala:

A criança pode apresentar ceceio na fala, que é o nome popular da interposição da língua na arcada dentária, quando se fala com a língua entre dentes em alguns sons: os mais comuns são em S, Z, X, CH e J; chiado, que é um som sibilado agudo, que ocorre durante a respiração, quando o ar flui através de tubos respiratórios estreitos. Também pode ocorrer voz rouca e/ou anasalada.

– Interferência na respiração:

O padrão respiratório pode ser alterado de nasal (respiração pelo nariz – correta) para bucal (respiração pela boca). Ao respirar pela boca, o ar não sofre o processo de filtragem, aquecimento e umedecimento normais, deixando o sistema respiratório mais vulnerável a doenças em geral.
A respiração bucal acarreta alteração de postura, do sono, ronco, deixa a criança cansada, reseca a mucosa, etc.

– Interferência na mastigação e deglutição:

A sucção da chupeta deixa os músculos das bochechas, lábios e língua flácidos (sem força). A criança não conseguirá mastigar os alimentos mais duros, fazendo com que a mamãe tenha que amassar bem os alimentos ou bater no liquidificador, e isso não é bom, pois a criança está em crescimento e precisa desenvolver corretamente toda a musculatura.
A deglutição atípica é quando existe a interposição de língua (posição errada da língua), o que força os dentes, podendo mudar suas posições.

– Mal posicionamento dental:

Mordida aberta = presença de vão entre os dentes anteriores superiores e inferiores.
Mordida cruzada = quando a arcada superior é menor (em V ou dentes inclinados para dentro) que a arcada inferior.
Overjet acentuado = quando os dentes superiores anteriores ficam muito inclinados para frente, dificultando o lábio superior encostar no inferior quando a criança está em repouso.

Chupeta ortodôntica:

Possui a base mais achatada, o que evita maior afastamento labial, e seu formato curvo posiciona melhor a língua, mas não permite o posicionamento correto.

Se a chupeta é tão ruim, meu filho pode chupar dedo?

O dedo é ainda pior, pois imprime força nos dentes anteriores superiores, e a retirada do hábito de sucção é mais difícil, pois ele está sempre disponível.
bebe chupando dedo

Como fazer a retirada da chupeta?

Ao decidir retirar a chupeta, os pais devem acreditar que o filho conseguirá sobreviver sem ela e ficar firme, não desistir, pois é difícil ver seu filho frustrado e irritado sem a chupeta.
Primeiro tente conversar e explicar que seu filho está “grandinho” e não precisa dela.
Tente trocar a chupeta por algum brinquedo.
Reduza o uso aos poucos, determinando os horários permitidos, e ao dormir, retire a chupeta do seu filho, pois neste momento não necessita realizar a sucção, e facilita o fechamento dos lábios e a respiração pelo nariz.
Dificultar o acesso da criança à chupeta (esconder).
Elogiar a criança quando estiver sem a chupeta.
No início, a criança tende a chorar, e nestas horas, os pais devem distrair com brincadeiras, músicas, desenhos, carinho, mas nada que lembre associe o hábito da sucção, por exemplo, se seu filho ia ver desenho com a chupeta, o ideal é fazer outra atividade durante o choro.
Se nada der certo, com uma agulha ou alfinete, faça pequenos furos no bico, o que vai murchar o bico durante a sucção, e a criança não vai ter o mesmo ânimo para chupá-la (não substitua a chupeta).
É importante que as mudanças sejam feitas de forma isolada, como por exemplo, a retirada da chupeta não deve estar associada ao inicio da escola, chegada de um irmão, mudança de casa.
Tenha paciência, pois mudar um hábito é difícil, não impossível.

Sobre Dra. Taila Billa

Dra. Taila Billa é dentista especialista em ortodontia com aperfeiçoamento em cirurgia bucal. Atende em consultório próprio na cidade de Taubaté - SP. Contato: (12) 3026-8789.

Veja também

Criança pode usar creme dental com flúor?

A Odontopediatria Brasileira recomenda o uso de creme dental com flúor a partir do nascimento do primeiro dentinho da criança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.