Home / Colunistas / Dra. Silvana Chedid / Engravidar com óvulos doados

Engravidar com óvulos doados

Atualmente cerca de 20% dos tratamentos de fertilidade realizados pelo IVI no Brasil são fertilizações com utilização de óvulos doados, e na Espanha, país de origem do grupo, este número chega a 50% dos casos. A necessidade de óvulos doados para engravidar tem crescido gradualmente. Mas por que isto está acontecendo?

A maternidade após os 35 anos é o principal fator. As mulheres nascem com uma reserva ovariana entre 500.000 e 1.000.000 óvulos, e com o passar dos anos esta reserva vai diminuindo. Normalmente o envelhecimento da reserva ovariana começa afetar com mais intensidade a capacidade de engravidar após os 35 anos, dependendo da qualidade do óvulo ou inclusive da sua existência, a mulher precisará de um tratamento com recepção de óvulos doados para conseguir levar uma gestação até o nascimento de um bebê saudável.

Os óvulos da doadora são unidos aos espermatozoides do casal receptor para obter os embriões que serão transferidos para a receptora e futura mamãe conseguir a gravidez tão desejada. Desta forma, a doação de óvulos torna possível o milagre da vida em mulheres que, de outra maneira, não poderiam ter filhos.
casal olhando ultrassom

Como é selecionada uma doadora de óvulos?

Existem requisitos mínimos para as mulheres serem aceitas como doadoras de óvulos:

– Idade: 18 a 35 anos.
– Histórico genético saudável
– Normalidade do aparelho reprodutor
– Avaliação ginecológica completa
– Avaliação psicológica completa

O casal não terá acesso à identidade da doadora de óvulos, mas sim às suas características. Para realizar a seleção, a equipe médica procura a doadora que seja mais parecida com a mãe, que será também a gestante.

Doação compartilhada

Para casais em tratamento de fertilidade por razão de um fator de infertilidade masculino, o Conselho Federal de Medicina permite realizar a doação compartilhada, onde as doadoras de óvulos tem parte de seu tratamento pago pelas receptoras de óvulos. Esta possibilidade vem ajudando tanto a fomentar a doação de óvulos, quanto a permitir uma redução de custos para casais em tratamento que decidam doar.

Vitrificar os próprios óvulos

A alternativa para evitar a necessidade de doação de óvulos no futuro é Preservar a fertilidade enquanto a qualidade dos óvulos ainda é boa. Muitas mulheres percebem tarde que a vitrificação de seus óvulos poderia ter evitado a necessidade de contar com óvulos doados para conseguir engravidar no futuro, principalmente após os 37 anos.

Quem decide preservar sua fertilidade, também pode aproveitar a ocasião para fazer uma boa ação doando parte de seus óvulos. Esta atitude ajuda a mudar a vida e trazer a felicidade a casais em tratamento.

Sobre Dra. Silvana Chedid

Dra. Silvana Chedid
Dra. Silvana Chedid (CRM 57672) é especialista em Reprodução Humana pelo Center for Reproductive Medicine da Universidade de Bruxelas (Bélgica). Por 15 anos dirigiu o CEPERH (Centro de Endoscopia Pélvica e Reprodução Humana do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo) e por 10 anos sua clínica própria, que foi incorporada ao grupo espanhol de medicina reprodutiva IVI em 2012. www.ivi.net.br

Veja também

Medir a porcentagem de gordura corporal é mais eficaz que IMC para estimar as chances de gravidez

Medir a porcentagem de gordura corporal é mais eficaz que IMC na hora de estimar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.