Home / Filhos / Educação e comportamento / Dicas para evitar o afogamento infantil

Dicas para evitar o afogamento infantil

afogamento infantilO afogamento infantil é a 2ª maior causa de morte de crianças entre 1 e 14 anos, segundo ONG Criança Segura, ficando atrás somente das mortes causadas por acidentes de trânsito.

Não pense que o risco de afogamento ocorre somente em piscinas e rios e praias, onde o volume de água é muito grande, boa parte dos afogamentos acontecem em casa mesmo, em bacia, balde, vaso sanitário, banheira, poços ou qualquer local onde há acúmulo de água, 5 cm são suficientes para causar afogamento de crianças com até 4 anos de idade.

Dicas para evitar o afogamento infantil:

Supervisão de um adulto

Mesmo em locais com salva-vidas ou monitor, a supervisão de um adulto é necessária, seja na praia, piscina, clube, represa ou rio. Até os adolescentes que já sabem nadar precisam de supervisão e orientação, pois algumas brincadeiras ou “desafios” podem colocá-los em risco desnecessariamente.

Feche o acesso à lavanderia

Não deixe a criança tenha acesso a locais com baldes, bacias e outros recipientes com água. Especialmente os crianças com até 4 anos, em que a cabeça é mais pesada, quando mergulham a cabeça em baldes, por exemplo, não conseguem levantar.

Esvazie recipientes com água e armazene virados para baixo

Para evitar acidentes em baldes, bacias, piscinas infantis e outros recipientes com água, esvazie sempre após o uso e armazene virados para baixo para evitar que chuva e outros fatores volte enchê-lo.
Os recipientes que não podem ser esvaziados, como o vaso sanitário, devem estar sempre com a tampa abaixada e, se possível, com dispositivo de segurança.

Poços, caixas d’água, cisternas e tonéis fechados

Além do risco de afogamentos, os compartimentos acima também devem estar fechados para evitar que animais contaminem a água, além do risco de proliferação de insetos como o mosquito da dengue.

Porta do banheiro sempre fechada

Mantenha a porta dos banheiros fechada, evitando riscos de afogamento em banheiras, pias e vaso sanitário.
Saiba mais: Dicas para evitar acidentes com as crianças no banheiro.

Banho somente com supervisão

Nunca deixe uma criança sozinha na banheira, nem por 1 minutinho para atender a porta ou telefone.

Aulas de natação

A partir dos 3 anos de idade você já pode matricular seu filho em alguma escola de natação. Saber nadar ajudará a evitar afogamentos, porém a supervisão de um adulto continua essencial.

Cuidados em piscinas

Verifique a profundidade mesmo nas piscinas infantis e permita que a criança utilize somente a piscina própria para a sua idade sempre acompanhada de um adulto.

Cercar piscina residencial

Em casas com piscina, esta deverá estar cercada para evitar o acesso da criança sem um adulto supervisionando. As cercas devem ter, pelo menos, 1,50m de altura e sem que seja possível escalar. A porta de acesso deverá ser fechada com chave, cadeado ou trava de segurança.

Cuidados em represas, praias e rios

Verifique se a água é própria para banho e o local em que a criança poderá ficar, pois há risco de correnteza, buracos, pedras, buracos e até árvores submersas que podem fazer com que a criança se afogue.
Procure ficar próximo ao corpo de bombeiros (salva-vidas).
Atente para as placas que indicam os locais impróprios para banho e perigos. Respeite a sinalização!

Uso de colete salva-vidas

O colete salva-vidas é o método mais seguro para prevenir afogamentos. A utilização de boias, espaguetes flutuantes e outros infláveis é considerado recreativo.

Em caso de emergência ligue:

192 para Ambulância
193 para Bombeiros

Agora que você já sabe como prevenir afogamento infantil, é hora de convidar as crianças para brincar na água e se refrescarem sem riscos e com muita diversão!

 

Sobre Almanaque dos pais

Conteúdo produzido pela equipe do Almanaque dos pais.

Veja também

soluco-do-bebe

Soluço do bebê: é normal soluçar todos os dias? Como parar?

Entenda o que causa o soluço do bebê, como evitá-los, como parar com os soluços e quando o soluço é um sinal de alerta e deve ser investigado pelo médico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.