Home / Colunistas / Luciana Bernal / A história de uma mãe que descobre que está com câncer

A história de uma mãe que descobre que está com câncer

Olá, meu nome é Luciana, tenho 40 anos, sou Mãe da Sofia de 4 anos, e tenho mais dois filhos peludos, o Bug e Pituka. Sou esposa do Daniel que me presenteou com mais duas meninas lindas vindas de outro relacionamento.

Neste momento me sinto “ presa”, cheia de Projetos em mente, cheia de coragem! Mas, talvez por conta da situação e cansaço, sem vontade, sem ânimo.

Deus coloca em nosso caminho pessoas especiais, e disso posso falar de boca cheia! Como é importante num processo de doença ter um amigo por perto, pra segurar sua mão, te puxar pra cima, te ajudar. Refiro-me especificamente agora à Monica Romeiro que se tornou minha “amiga de infância” depois que ficamos velhas! (essa é uma longa historia que conto em outra oportunidade). Por conta de nossa amizade sólida, tive esse impulso de escrever, de sair da bolha em que me encontro e partilhar com vocês minha história …

A história de uma mãe que descobre que está com câncer

Dia 17 de maio de 2012 descobri, por obra do destino, um câncer raro. O pior dia da minha vida. Receber uma notícia dessas é como ver que sua vida foi boa enquanto durou e que seus dias estão contados. É cruel.

Meu primeiro e único pensamento foi a Sofia. Como poderia ir embora tão cedo sem antes passar meus valores a ela? Na ocasião ela tinha apenas dois aninhos.

Lembro que na primeira cirurgia que fiz, e a mais complexa, para retirada do tumor primário, fui ao quarto dela durante a madrugada me despedir (já que internaria na manhã seguinte). Chorei até me desidratar. Que momento difícil, porque a vida haveria de fazer isso comigo…

 

Eu e minha filha dias após a cirurgia, ainda com meu cabelo natural.
Eu e minha filha dias após a cirurgia, ainda com meu cabelão.

Desde o começo de toda essa tormenta sempre fui muito sincera com ela, explicando, na linguagem de uma criança de 2 anos, que a Mamãe estava “ dodói”, que iria ao Hospital ficar uns dias por lá, para cuidar desse “ dodói”.

Ter câncer é difícil pra qualquer um e em qualquer idade, é um golpe da vida sem dó, uma apunhalada! Mas quando se tem um filho pequeno o medo se multiplica, mas sempre adotei a sinceridade para tratar esse assunto com ela.

De início, o fato de ser Mãe me deixava depressiva, eu olhava pra ela e não podia me conter, mas logo depois me imbui de algo inesperado e descobri observando aquele olhar doce e meigo que a força pela qual eu buscava estava bem ali na minha frente, e tinha nome: Sofia.

Comecei então a lutar pela vida de verdade, lutar para poder ficar com ela, lutar para me curar, lutar para levantar da cama e levá-la pra escola, lutar para cuidar daquele pedacinho de gente que dependia 100% de mim.

A dor e o desespero deram espaço à esperança e à vontade absurda de viver.

Da Sofia sempre vieram o apoio que precisava e preciso! Sempre com a VERDADE, sempre.

Ela também tem seus momentos de revolta, interpreto alguns como revolta pelo meu estado e outros pela própria idade mesmo.

Difícil separar esses dois! Porque dói dar bronca quando ela apronta para chamar minha atenção pelo fato da minha ausência, pois estou sempre em consultas, tratamentos e exames. Ser Mãe é uma tarefa árdua, diária, e não tem nada nessa vida que possa machucar mais uma Mãe do que ver seu filho sofrer.

Tento o tempo todo conduzir tudo da melhor maneira, entendendo o lado dela, mas também o meu lado, porque perdemos a paciência com nossos filhos com muita frequência e isso é muito normal! Estranho se fosse ao contrário. Até nisso ela tem me ensinado a ser melhor, não só como Mãe, mas como pessoa.

Tenho muitas histórias para dividir com vocês, pois há dois anos estou nessa luta… De lá pra cá muita coisa mudou, valores, vontades e o principal: a forma de educar minha filha.

 

Nos veremos em breve,

Beijos
Luciana Bernal

Sobre Luciana Bernal

Luciana Bernal é mãe da Sofia de 4 anos, esposa e fotógrafa especializada em gestantes e crianças. Descobriu em 2012 que está com um câncer raro, uma doença que lhe trouxe ainda mais vontade de viver e aproveitar cada momento com sua família e amigos, além de registrar um lado mais sensível e emocionante em seus trabalhos fotográficos.

Veja também

Vida

Luciana Bernal, uma mãe que enfrenta o câncer, neste post festeja a vida com a chegada do Vitor, filho de um casal de amigos.

69 comentários

  1. Olá Christian. Meu nome é Carla e estou passando pelo mesmo drama que você. A minha mãe está com um câncer raro no fígado e está em estado avançado. Fiquei muito interessada no medicamento com babosa. Seria possível você entrar em contato comigo para conversamos? Fiquei animada com sua história. Aguardo seu retorno. Obrigada. Carla

  2. Te amo, te amo, te amo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  3. Como te amo e admiro, “filhota loira”!!!!! Obrigada, tb, por ser tão magnânima e conseguir se superar e escrever compartilhando… Todo o carinho do mundo!

  4. Parabenizo-a pelas lutas pela vida, sei o quanto é sofrível o tratamento pois já o fiz. Tive um câncer de ovário a há 12 anos, tinha 32 anos e não tinha filhos, o que me impossibilitou ser mãe biológica. Passei por cirurgias, quimioterapia. cirurgia, acompanhamentos, medos, retornos traumáticos e constante vigilância. Olho para traz hoje e acho que foi fácil, claro que não foi, tentei viver um dia de cada vez, apesar de minha ansiedade, mas a força veio dos amigos, familiares, colegas de trabalho, isto é, das pessoas com as quais eu convivia e que me carregou. E acredito que Sofia é uma dessas forças para você, com certeza o sorriso dela te dá força para levantar no dia seguinte mesmo com todo os efeitos colaterais dos tratamentos. acredito que o maior ensinamento para ela você já esta passando através do exemplo, da persistência; curta sua garotinha durante esse período querida o tempo dela não volta mais.
    Como Christian ressaltou, eu também fiz tratamentos alternativos paralelo, apesar do meu médico não acreditar, eu já consumia alimentos orgânicos e fiz uso de babosa, mastruz, cipó leite, suco de clorofila, entre outros, tive um maior resultado com mastruz, pois não conseguia alcançar o número de plaquetas entre uma quimio e outra, então tomava bastante. Tive colegas que obtiveram resultados excelentes com babosa, entretanto, cada organismo é único, a alimentação é o principal.
    A vida é um dia após o outros, sendo hoje o melhor.
    Tudo de bom!! Estamos com você, forças positivas te energizaram. ACREDITE você pode vencer, a vida é muito maior e ela tem seus próprios caminhos. Até mais notícias boas.

  5. Oi Christian!
    Que máximo seu depoimento, me acrescentou demais !
    Gostaria muito de conversar mais com vc.
    Vc tem algum contato ( email) que possamos nos falar?!
    Super obrigada por dividir sua história , pelas dicas! Podemos nos ajudar! Tbm já estive no seu lugar… Como filha!!! Nada , mas nada fácil!!!!! Aguardo seu retorno.
    Beijao

  6. Luciana, bom dia!
    Não sei que tipo de doença é esta que você esta lutando. tenho passado por momentos difíceis por conta do câncer da minha mãe, agora quero mostrar o outro lado, o lado do filho que esta correndo com sua mãe a procura da cura de um câncer que começou no intestino e depois de uma cirurgia as pressas e muita quimioterapia ele acabou se espalhando pro fígado também. Enfim, não quero ficar falando da parte ruim dessa história. Depois da minha mãe ser desenganada por alguns médicos eu comecei uma longa pesquisa na internet a procura de algum tratamento alternativo e em uma conversa com um amigo de trabalho (um desabafo), ele falou que sua tia no norte tinha se curado de um câncer de mama através da babosa com mel, imediatamente fui novamente a internet pesquisar sobre o assunto e me dei conta de vídeos e depoimentos de pessoas que se curaram através desse tratamento alternativo. Antes de começar o tratamento com a babosa o índice de células canceriginas estava em 1000 quando o normal era de 10. Bom, hoje estamos vendo este índice cair a cada exame que fazemos, baixou para 644, no mês seguinte para 354 e a médica dela disse que se continuar baixando nos próximos meses ele vai parar de fazer as quimioterapias e ficar acompanhando por exames pra ver se a doença não volta. Lembrando que a médica dela não sabe que estamos fazendo o tratamento com a babosa, não contei por conta que eles (médicos) não acreditarem nesse tipo de medicina alternativa e natural. Ela já estava desesperada, trocando o tipo de quimioterapia e quando o índice chegou a 1000 ela me olhou com uma cara de preocupação que fiquei com medo. Enfim, quero que você saiba que a babosa esta curando minha mãe e pode te ajudar, claro que não deve largar a medicina convencional, mas pode usar a babosa junto! espero ter ajudado de alguma forma. Força e espero que se cure o quanto antes para poder voltar a dar a atenção que sua filha merece! Christian, filho da Maria Benedita que esta se curando desta doença !!! Força Guerreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.