Home / Colunistas / Dra. Silvana Chedid / Congelamento de sêmen. Quando, como e onde?

Congelamento de sêmen. Quando, como e onde?

Existem diversas situações onde é recomendável para o homem congelar espermatozoides com o objetivo de garantir sua capacidade de ter filhos no futuro. Algo que vale a pena considerar já que o processo de congelamento de sêmen é rápido e não exige tratamento prévio, como acontece no caso da mulher, além disso, não implica em nenhum risco para o homem.

Quando é recomendável?

Antes de realizar uma vasectomia: São comuns nas clínicas de fertilidade os casos de homens que fizeram uma vasectomia e com o passar dos anos, ou alguma mudança na vida decidem ter filhos novamente. Na maioria das vezes a cirurgia para reversão é possível, mas nem sempre se restabelece a fertilidade dos canais. Isso acontece porque ao longo dos anos o vasectomizado começa a produzir anticorpos antiespermatozoides, principalmente depois de 10 anos de vasectomia.

Antes de um tratamento de quimioterapia ou radioterapia: Estes tratamentos frequentemente resultam em infertilidade temporária ou esterilidade permanente, pois causam depleção das células precursoras dos espermatozoides nos testículos, além de causar alterações nos mecanismos intratesticulares de espermatogênese. Dependendo do tipo de tumor e tipo de quimioterapia empregada, as porcentagens de azoospermia (ausência total de espermatozoides no ejaculado) variam de 35 a 71%; e a porcentagem de infertilidade pode chegar a 90%. A radioterapia, mesmo em doses cumulativas baixas, pode causar alterações na produção de espermatozoides, e em doses altas pode causar azoospermia prolongada ou permanente.

Idade: A idade não é um fator importante na queda da fertilidade masculina. A produção de espermatozoides acontece ao longo de toda sua vida, diferente da mulher que nasce com uma reserva ovariana que envelhece com ela. No entanto, nota-se que a diminuição da qualidade dos espermatozoides começa a ser mais acentuada ao redor dos 50 anos de idade.

Como funciona?

Banco de esperma
Banco de esperma

A partir de uma amostra adquirida coletada por meio de ejaculação, o sêmen é preparado em laboratório para seu congelamento e depois é conservado em nitrogênio líquido a uma temperatura de – 196ºC, onde pode permanecer por tempo indeterminado.

Quando queira utilizar os espermatozoides congelados. O processo será descongelar o sêmen e realizar a fertilização do óvulo em laboratório.

 

 

 

Onde realizar o congelamento do sêmen?

Existem bancos de sêmen para armazenar os espermatozoides congelados. O Banco de sêmen também é a fonte de gametas masculinos para casais que já não podem utilizar espermatozoides próprios ou mulheres sem parceiro masculino. O IVI possui o maior banco de sêmen internacional do mundo.

Doação de sêmen

Os bancos de sêmen estão abertos a doadores. Os candidatos a doadores passam por uma revisão física e psicológica antes de serem considerados aptos para doar. A doação é voluntária e não remunerada.

Para saber mais sobre doação de sêmen, acesse o site www.ivi-fertilidade.com.

Qual a melhor forma de conservar a qualidade dos espermatozoides por mais tempo?

Os fatores externos exercem muita influência na fertilidade masculina. A obesidade, fumar, consumir álcool, drogas e inclusive o estresse são fatores que diminuem a produção e qualidade dos espermatozoides, consequentemente prejudicam a fertilidade masculina.

Resumindo, o congelamento de sêmen é uma forma de garantir a qualidade dos espermatozoides no momento em que os mesmos foram congelados e não está contra indicado, pelo contrário, é especialmente indicado para casos onde exista qualquer risco de interrupção da produção de espermatozoides ou perda de fertilidade.

Você também pode gostar de ler:

Espermatozoide: Da produção até a ejaculação
Problemas nos espermatozoides – causa mais comum de infertilidade
Hábitos que prejudicam a fertilidade do homem

Sobre Dra. Silvana Chedid

Dra. Silvana Chedid
Dra. Silvana Chedid (CRM 57672) é especialista em Reprodução Humana pelo Center for Reproductive Medicine da Universidade de Bruxelas (Bélgica). Por 15 anos dirigiu o CEPERH (Centro de Endoscopia Pélvica e Reprodução Humana do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo) e por 10 anos sua clínica própria, que foi incorporada ao grupo espanhol de medicina reprodutiva IVI em 2012. www.ivi.net.br

Veja também

Aftas

Aftas: o que são, quais os tipos, como tratar as aftas e dicas

As aftas são feridas benignas e não contagiosas e podem se manifestar por diferentes razões. Conheça os tipos, tratamentos, cuidados e dicas para evitá-las.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.