Home / Colunistas / Dra. Taila Billa / Traumatismo em dentes permanentes

Traumatismo em dentes permanentes

Ver crianças brincando é comum e muito divertido, mas quando um se machuca, paira aquela nuvem de preocupação sobre a cabeça dos pais.
criancas parque02 (590x454)

 

Lesões traumáticas aos dentes são comuns nas crianças em idade escolar. Iniciam-se nos primeiros anos de vida e vão aumentando à medida que estas começam a dar seus primeiros passos. Na criança, o número de avulsões que ocorrem devido a traumatismos é mais frequente que nos adultos, devido à fragilidade do tecido ósseo, que envolve principalmente os dentes decíduos.

Quando a criança começa a trocar os dentinhos, o permanente nasce sem estar completamente formado (a raiz ainda está incompleta), o que pode influenciar na escolha do tratamento.

Em casos de acidentes envolvendo dentes e gengivas, lembre-se sempre de manter a calma, limpar o local e procurar ajuda de um profissional, que vai saber indicar o melhor tratamento para o seu filho.

Principais tipos de traumatismo em dentes permanentes e tratamentos

Aqui listei os principais tipos de traumatismos e tratamentos, que devem ser realizados por um dentista o quanto antes, aumentando as chances de salvar o dente lesionado:

– Gengiva e mucosa = ricamente vascularizada, sangra com facilidade, o que dificulta observar uma lesão maior. Lave bem o local com gaze e soro ou água filtrada e fazer uma compressa gelada no local. Se o sangramento não parar, consulte um dentista, pois pode ser necessário dar uns pontinhos no corte.

– Trincas e fraturas no dente = as trincas são fraturas incompletas e não necessitam de tratamento, mas precisam ser acompanhadas radiograficamente.

As fraturas de coroa podem envolver 1 ou mais camadas do dente (esmalte, dentina e polpa). Quanto mais superficial, melhor o resultado final do tratamento, mas todas as lesões precisam ser acompanhadas radiograficamente:

*Esmalte – alisar as margens para evitar incômodo, dependendo do tamanho da fratura, pode-se restaurar o dente.

*Esmalte e dentina – se encontrar o pedaçinho do dente, mantenha-o hidratado embaixo da língua ou em um copo com soro fisiológico ou leite, para que possa fazer a colagem do fragmento. Se não encontrar, será feita uma restauração do dente.

*Esmalte, dentina e polpa – será necessário fazer o tratamento de canal (endodontia) seguida de restauração.

As fraturas ainda podem ser radiculares – quando envolvem a raiz do dente, sendo mais complicadas para tratar.

– Concussão – o dente não apresenta mobilidade, devendo fazer repouso do local afetado.

– Subluxação – o dente apresenta pequena mobilidade, mas sem deslocamento. O tratamento consiste em repouso do local, ou quando envolve mais dentes, as vezes é necessário fazer uma contenção para evitar movimentos.

– Luxação – movimentação do dente dentro do alvéolo (cavidade no osso onde se aloja o dente).

* Extrusiva – deslocamento parcial do dente para fora do alvéolo, e o tratamento é reposicionar o dente com cuidado, o quanto antes, para evitar formação de coágulo sanguíneo na ponta da raiz, e contenção do dente.

* Lateral – deslocamento lateral do dente, e seu tratamento é reposicionar o dente após anestesia e fazer contenção; as vezes é necessário dar uns pontinhos na gengiva.

* Intrusiva – deslocamento parcial do dente para dentro do alvéolo. Quando a raiz está incompleta, pode-se aguardar o reposicionamento espontâneo do dente, mas o tratamento mais efetivo é a endodontia e o reposicionamento com ajuda da ortodontia (aparelho fixo).

OBS: a maioria dos casos de luxação evoluem para a necrose pulpar (dos vasos sanguíneos e nervos) sendo necessário fazer o tratamento de canal. Faça o acompanhamento radiográfico com seu dentista.

– Avulsão – é a saída do dente de seu alvéolo, e seu tratamento é o reimplante, seguindo algumas recomendações:

– armazenar o dente, sem lavar e esfregar, em um copo com soro fisiológico, leite ou até mesmo embaixo da língua, mantendo-o hidratado

– procurar um dentista o quanto antes, informando-o sobre o acidente.

– reimplante em até 30 minutos tem mais chance de sucesso.

Casos em que não encontram o dente ou demoram muito para procurar ajuda, o reimplante não é aconselhado, mas para ajudar a estética, função mastigatória e autoestima da criança, coloca-se uma prótese – sua escolha depende da idade e cooperação do paciente, até a criança ter idade para realizar um implante dentário, que é em média aos 18 anos de idade.

Sobre Dra. Taila Billa

Dra. Taila Billa é dentista especialista em ortodontia com aperfeiçoamento em cirurgia bucal. Atende em consultório próprio na cidade de Taubaté - SP. Contato: (12) 3026-8789.

Veja também

O que esperar na primeira consulta com o ortodontista?

Entenda o que esperar na primeira consulta com o ortodontista, o que é avaliado e os tipos de de aparelho (móvel ou fixo) será indicado para o tratamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.