Home / Gestação e parto / O que você precisa saber / Estreptococos do grupo B: o que é e riscos para mãe e bebê

Estreptococos do grupo B: o que é e riscos para mãe e bebê

A Detecção de estreptococos do grupo B (ou triagem de estreptococos beta hemolítico) é um exame obrigatório para toda gestante, pois o seu contágio oferece riscos para mãe e bebê.

Foto: Wikipedia Commons
Foto: Wikipedia Commons

Saiba mais sobre o estreptococos do grupo B, riscos e exame abaixo:

O que é estreptococos do grupo B?

Estreptococo do grupo B, também conhecida como “strepto”, é uma bactéria comumente encontrada no intestino e vagina de adultos e que pode causar infecções graves em mulheres grávidas e recém-nascidos. Não há risco para adultos homens e mulheres não grávidas.

Quais os riscos para mulheres grávidas?

Mulheres grávidas que estão infectadas com o strepto correm mais risco de entrar em parto prematuro, infecção do líquido amniótico e, após o parto, infecção do útero.

Quais os riscos para o bebê?

Durante o parto o bebê pode ser infectado com a bactéria e desenvolver pneumonia, meningite e infecções sanguíneas.
O maior índice de mortalidade por essas infecções ocorre em bebês prematuros. Existe também o risco de sequelas.

Quem deve realizar a triagem  de estreptococos beta hemolítico?

Toda mulher grávida, sem exceção.

Quando se deve realizar o exame de detecção de estreptococos, grupo B?

Obrigatoriamente a mulher deve realizar o exame entre as semanas 34 e 37 de gestação. O resultado do exame deve ser apresentado ao hospital ou maternidade na ocasião da internação para o parto, seja ele cesárea ou normal.
No caso de esquecimento um novo exame será realizado no local, o que pode atrasar os procedimentos para o parto.

Qual o tratamento quando o resultado do exame for positivo?

O primeiro passo é informar ao hospital ou maternidade, assim que se internar, que o seu resultado para estreptococos foi positivo.
Durante a gestação: Não há tratamento que elimine o estreptococos. Muitas mulheres são portadoras, porém não desenvolvem nenhuma reação à bactéria e, nesses casos, ela não precisará de nenhum tratamento para evitar complicações durante a gestação.
Se você tiver alguma infecção urinária na gravidez e for causada pelo estreptococo do grupo B, você tomará antibióticos de via oral para tratar, porém o exame deverá ser realizado de qualquer forma entre a 34ª e 37ª semana de gestação.
Durante o parto: O tratamento com antibióticos por via venosa logo no início do trabalho de parto – o ideal é que o tratamento se inicie 4 horas antes do parto – que diminuem substancialmente as chances de desenvolver alguma complicação. Quando o tratamento é realizado até 4 horas antes do parto o risco de contaminação do recém-nascido é de 1,2%, porém quando o antibiótico foi administrado a menos de 1 hora o risco sobre para 42%.
Quando será parto cesárea fica a critério da maternidade administrar o antibiótico como prevenção ou não.

Os antibióticos são a penicilina ou ampicilina, se você é alérgica alerte aos médicos!

Como o exame é realizado? Existe preparo?

É realizada uma cultura com um tipo de haste de algodão (cotonete). Colhe-se material do ânus e da vagina. O exame pode ser um pouco incômodo para algumas mulheres.

Porque o exame não pode ser realizado antes?

O exame não é realizado antes porque o tratamento não impede que a bactéria esteja presente na região do ânus e vagina na época do parto.

Você também pode gostar de ler:

Sexo na gravidez: 11 melhores posições (com imagens)
Grávida pode carregar criança no colo?
Como organizar o chá de bebê em 10 etapas

Clique na semana de gestação abaixo e acompanhe a sua Gravidez Semana a Semana com o Almanaque dos pais

Sem. 01 Sem. 02 Sem. 03 Sem. 04 Sem. 05 Sem. 06 Sem. 07 Sem. 08 Sem. 09 Sem. 10
Sem. 11 Sem. 12 Sem. 13 Sem. 14 Sem. 15 Sem. 16 Sem. 17 Sem. 18 Sem. 19 Sem. 20
Sem. 21 Sem. 22 Sem. 23 Sem. 24 Sem. 25 Sem. 26 Sem. 27 Sem. 28 Sem. 29 Sem. 30
Sem. 31 Sem. 32 Sem. 33 Sem. 34 Sem. 35 Sem. 36 Sem. 37 Sem. 38 Sem. 39 Sem. 40

 

Sobre Almanaque dos pais

Conteúdo produzido pela equipe do Almanaque dos pais.

Veja também

7-sintomas-de-gravidez

7 Sintomas de gravidez que você jamais imaginou

Conheça os 7 sintomas de gravidez que você jamais imaginou que existiam ou mesmo que eles eram sintomas de gravidez tão comuns nas gestações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione a opção desejada para ser notificado sempre que um novo comentário for publicado ou quando houver uma resposta para seu comentário.